DSpace logo

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorioinstitucional.uea.edu.br//handle/riuea/2805
Title: A leitura em espaços não formais como estratégia pedagógica na educação ambiental
Other Titles: The relation child-environment as result of experiences, perceptions and appropriation
Authors: Lacerda Junior, José Cavalcante
Zacarias, Elisa Ferrari Justulin
Higuchi, Maria Inês Gasparetto
Keywords: Espaço;Percepção Ambiental;Apropriação
Issue Date: 11-May-2017
Publisher: Universidade do Estado do Amazonas
Citation: ALMEIDA, A. N. Para uma sociologia da infância: jogos de olhares, pistas para a investigação. Lisboa: ICS. 2009. BOFF, L. O cuidado essencial: princípio de um novo ethos. In: Inclusão Social, Brasília, v.1, n.1, p. 28-35, out./mar., 2005. ______. Sustentabilidade: o que é o que não é. 4 ed. Petropólis, RJ: Vozes, 2015. BOURDIEU, P. Razões Práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1996. BRONFENBRENNER, U. A Ecologia do Desenvolvimento Humano: experimentos naturais e planejados. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996. CARVALHO, M. I. C.; CAVALCANTE, S.; NÓBREGA, L. M. A. Ambiente. In: CAVALCANTE, S.; ELALI, G. A. Temas Básicos em Psicologia Ambiental. Rio de Janeiro: Vozes, 2011, p. 28–43. CAPRA, F. As conexões ocultas. São Paulo: Cultrix, 2003. ______. Ponto de mutação. São Paulo: Cutrix, 2006. CAPRA, F.; LUISI, P. L. A visão sistêmica da vida: uma concepção unificada e suas implicações filosóficas, políticas, sociais e econômicas. São Paulo: Cultrix, 2014. CAVALCANTE, S.; ELIAS, T. F. Apropriação. In.: CAVALCANTE, Sylvia; ELALI, Gleice A. (orgs.). Temas Básicos em Psicologia Ambiental. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. CERTEAU, M. A invenção do cotidiano: 1. artes de fazer. 3. ed. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 1994. COLLADO, S.; CORRALIZA, J. A. Children’s Restorative Experiences and Self- Reported Environmental Behavoirs. Environment and Behavior, v.47, n.1, p. 38– 56, 2015. Revista Amazônica de Ensino de Ciências | ISSN: 1984-7505 ARTIGO 132 Rev. ARETÉ | Manaus | v.10 | n.21 | p.123-134 | Número especial | 2017 ELALI, G. A.; MEDEIROS, S. T. F. Apego ao lugar. In: CAVALCANTE, S.; ELALI, G. A. Temas Básicos em Psicologia Ambiental. Rio de Janeiro: Vozes, 2011. p. 53– 62. EVANS, G. A importância do ambiente físico. Psicologia USP, 2005, 16(1/2), p. 47- 52. FISCHER, G. Psicologia Social do Ambiente. Lisboa: Instituto Piaget, 1994. FRANTZ, C. M.; MAYER, F. S. The importance of connection to nature in assessing environmental education programs. Studies in Educational Evaluation, Evaluating Environmental Education. v.41, p. 85–89, jun. 2014. GÜNTHER, H. Mobilidade e affordance como cerne dos estudos pessoa-ambiente. Estudos de Psicologia, v.8, n.2, p. 273–280, 2003. GÜNTHER, H. Affordance. In: CAVALCANTE, S.; ELALI, G. A. Temas básicos em Psicologia Ambiental. Rio de Janeiro: Vozes, 2011. p. 21–27. HIDALGO, M. C.; HERNANDEZ, B. Place attachment: Conceptual and empirical questions. Journal of environmental psychology, v.21, n.3, p. 273–281, 2001. HIGUCHI, M. I. G.; KUHNEN, A. Percepção e representação ambiental - Métodos e técnicas de investigação para a Educação Ambiental. In: PINHEIRO, J. Q.; G¨NTHER, H. Métodos de pesquisa nos estudos pessoa-ambiente. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008. p. 181–215. HIGUCHI, M. I. G.; KUHNEN, A. Percepção Ambiental. In: CAVALCANTE, S.; ELALI, G. A. Temas básicos em Psicologia Ambiental. Rio de janeiro: Vozes, 2011. FAGIONATTO, S. O que tem a ver a percepção ambiental com a educação ambiental? São Paulo, 2007. Disponível em: <http://educar.sc.usp.ber> Acesso em: jul.2016. IZENSTARK, D.; EBATA, A. T. Theorizing Family-Based Nature Activities and Family Functioning: The Integration of Attention Restoration Theory With a Family Routines and Rituals Perspective. Journal of Family Theory & Review, v.8, n.2, p. 137–153, 2016. JOYE, Y.; VAN DEN BERG, A. Is love for green in our genes? A critical analysis of evolutionary assumptions in restorative environments research. Urban Forestry & Urban Greening, v.10, n.4, p. 261–268, 2011. KALS, E.; SCHUMACHER, D.; MONTADA, L. Emotional affinity toward nature as a motivational basis to protect nature. Environment and behavior, v.31, n.2, p. 178– 202, 1999. KELLERT, S. Reflections on children’s experience of nature. C&NN Leadership Writing Series, v.1, n.2, p. 1–5, 2009. KELLERT, S. R. Experiencing nature: Affective, cognitive, and evaluative development in children. Children and nature: Psychological, sociocultural, and evolutionary investigations, p. 117–151, 2002. LAIRD, S. G.; MCFARLAND-PIAZZA, L.; ALLEN, S. Young children’s opportunities for unstructured environmental exploration of nature: Links to adults’ experiences in childhood. International Journal of Early Childhood, v.2, n.1, p. 58, 2007. Revista Amazônica de Ensino de Ciências | ISSN: 1984-7505 ARTIGO 133 Rev. ARETÉ | Manaus | v.10 | n.21 | p.123-134 | Número especial | 2017 LISBOA, C. P.; KINDEL, E. A. I. Educação Ambiental: da teoria à prática. Porto Alegre: Mediações, 2012. LOPES, J. J. M. Geografia das crianças, geografias da infância. In.: REDIN, Euclides; MULLER, Fernanda; REDIN, Marita Martins (Orgs.). Infâncias: cidades e escolas amigas das crianças. Porto Alegre: Mediação, 2007, p.43-56. LOUV, R. A última criança na natureza - Resgatando Nossas Crianças do Transtorno do Deficit de Natureza. São Paulo: Aquariana, 2016. MACHADO, Y. S. et al. Brincadeiras infantis e natureza: investigação da interaçãocriança-natureza em parques verdes urbanos. Temas em Psicologia, v.24, n.2, p. 655–667, 2016. MAYER, F. S.; FRANTZ, C. M. The connectedness to nature scale: A measure of individuals’ feeling in community with nature. Journal of Environmental Psychology, v.24, n.4, p. 503–515, dez. 2004. MATURANA, H. R.; VARELA, F. J. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. São Paulo: Palas Athena, 2001. MORIN, E. Ciência com Consciência. 8 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005. ______. Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro. 12 ed. São Paulo: Cortez; Brasília: UNESCO, 2007. ______. O método II: a vida da vida. 5 ed. Porto Alegre: Sulina, 2015. NISBET, E. K.; ZELENSKI, J. M.; MURPHY, S. A. The nature relatedness scale: Linking individuals’ connection with nature to environmental concern and behavior. Environment and Behavior, 2008. NORTON, C. L. Ecopsychology and social work: Creating an interdisciplinary framework for redefining person-in-environment. Ecopsychology, v.1, n.3, p. 138– 145, 2009. PERES, P. M. S. Percepção da interação criança-natureza por cuidadores no Parque Municipal da Lagoa do Peri, em Florianópolis, Santa Catarina. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal de Santa Catarina, 2013. PIAGET, J. A construção do real na criança. Trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1970. PINHEIRO, J. Q.; GUNTHER, H. Métodos de pesquisa nos estudos pessoaambiente. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008. SARMENTO, M. J.; PINTO, M. (Coord.). As crianças: contextos e identidades. Braga: Universidade do Minho – Centro de Estudos da Criança, 1997. ______. As Culturas da Infância nas encruzilhadas da 2. Modernidade. In.: SARMENTO, Manuel Jacinto; CERISARA, Ana Beatriz (Coodes.). Crianças e Miúdos: perspectivas sociopedagógicas sobre infância e educação. Porto: Asa, 2004. SCANNELL, L.; GIFFORD, R. Defining place attachment: A tripartite organizing framework. Journal of environmental psychology, v.30, n.1, p. 1–10, 2010. Revista Amazônica de Ensino de Ciências | ISSN: 1984-7505 ARTIGO 134 Rev. ARETÉ | Manaus | v.10 | n.21 | p.123-134 | Número especial | 2017 SCHULTZ, P.; TABANICO, J. Self, Identity, and the Natural Environment: Exploring Implicit Connections With Nature1. Journal of Applied Social Psychology, v.37, n.6, p. 1219–1247, 2007. SCHULTZ, P. W. et al. Implicit connections with nature. Journal of environmental psychology, v.24, n.1, p. 31–42, 2004. SPELLER, G. M. A importância da vinculação aos lugares. In: Contextos Humanos e Psicologia Ambiental. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2005. p. 133–167. TOREN, Christina. Uma antropologia além da cultura e da sociedade: entrevista com Christina Toren. IN.: Revista Habitus. v.11. n.1. Ano 2013. TUAN, Y.-F. Topofilia - Um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Londrina: Eduel, 2012. TUAN, Y. F. Espaço e lugar - A perspectiva da experiência. Londrina: Eduel, 2013. VESELINOVSKA, S. S.; PETROVSKA, S.; ZIVANOVIC, J. How to help children understand and respect nature? Procedia-Social and Behavioral Sciences, v.2, n.2, p. 2244–2247, 2010. VYGOTSKY, LEV S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1987. WELLS, N. M.; EVANS, G. W. Nearby nature a buffer of life stress among rural children. Environment and behavior, v.35, n.3, p. 311–330, 2003. WIESENFELD, E. A psicologia ambiental e as diversas realidades humanas. Psicologia USP, 2005, 16(1/2), 53-69. Instituto de Psicologia -Universidade Central de Venezuela. Disponível em <www.scielo.br>. Acesso em 20 de setembro/2016.
Abstract: The child interaction with his physical environment has been discussed more intensely in the contemporary context calling for the construction of practices and reflections on the theme. From this perspective, this article problematizes the child-environment relationship from the space, environmental perception, and appropriation categories. The text refers to a discussion in the theoretical-conceptual field of the relation evidencing the children as social actors. It emphasizes the recognition of space as a radical element, the construction of environmental perception as a revealing form of the infant universe and social appropriation as an instrument that allows meaningful learning of care. Keywords: Space. Environmental perception. Appropriation
URI: http://repositorioinstitucional.uea.edu.br//handle/riuea/2805
ISSN: 1984-7505
Appears in Collections:Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
A leitura em espaços não formais como estratégia pedagógica na educação ambiental.pdf306,5 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons