DSpace logo

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorioinstitucional.uea.edu.br//handle/riuea/1250
Título: Etnia e legitimidade na Vila Colonial de EGA: Contribuições para a História Indígena na Amazônia 1800 – 1820
Título(s) alternativo(s): Ethnicity and legitimacy in the Colonial Village of EGA: Contributions to the Indigenous History in the Amazon 1800 - 1820
Autor(es): Mendes, Egly Angélica da Silva
Palavras-chave: Etnia, Legitimidade, Descimento
Ethnicity, Legitimacy, Descent
Data do documento: 17-Jan-2019
Editor: Universidade do Estado do Amazonas
Resumo: The present research has as theme Ethnicity and Legitimacy in the colonial village of Ega: Contributions to the Indigenous History of the Amazon (1800-1820). From the analysis of the Baptism Registers, the research aims at observing the standards of Ethics and Legitimacy in the Colonial Village of Ega, paying attention to the process of descent present in both legislations, the 1750 Pombaline Directory and the 1798 Royal Charter of Power. achieving this objective work consisted in mapping the books of Baptisms Registry existing in the Prelature of Tefé to the period from 1800 to 1820; understand how the rhythm and flow of possible particular departures recorded by Ega's Baptism book; Understand the proper rhythms of family formation based on the concepts of ethnicity and legitimacy; Organize and tabulate in charts and tables the data regarding Ethnicity and Legitimacy present in the baptism books of said village; to digitize, through digital photography, the most vulnerable books in order to preserve the information contained therein. This research is justified by the fact that the ecclesiastical sources have privileged information about the indigenous populations, and it is the role of registering from birth, marriage and death of the whole village, therefore, through the records it is possible to reconstitute the families of a certain period, since these documents have information such as social condition, sex, color, age, ethnicity and through these traces of kinship and spiritual kinship, partially shaping the families of the time. In order to do so, it is intended to answer the predominant pattern in Baptism Records, whether legitimate or illegitimate? And in relation to the decreases, what is the flow of ethnicities descended to the villages of Ega and Nogueira recorded by the parish priests. It is suggested to this question that in the villages can contain both the standards of legitimacy and illegitimacy by the quantitative indigenous population inhabiting the villages and also those that are being descended.
Descrição: A presente pesquisa tem como tema Etnia e Legitimidade na Vila colonial de Ega: Contribuições para História Indígena da Amazônia (1800-1820). A pesquisa tem como objetivo, a partir da análise dos Registros de Batismo observar os padrões de Etnia e Legitimidade na Vila Colonial de Ega, atentando para o processo de descimento presentes nas duas legislações, o Diretório Pombalino 1750 e Carta Régia de Poder 1798. Para alcançar tal objetivo trabalho consistiu-se em mapear os livros de Registro de Batismos existente na Prelazia de Tefé ao período de 1800 a 1820; compreender como o ritmo e fluxo de possíveis descimentos particulares registrado pelo livro de Batismo de Ega; Compreender os ritmos próprios de formação das famílias a partir dos conceitos de etnia e legitimidade; Organizar e tabular em gráficos e tabelas os dados referentes à Etnia e Legitimidade presentes nos livros de batismo da referida vila; digitalizar, através da fotografia digital, os livros mais vulneráveis com o intuito de preservar as informações nelas contidas. Esta pesquisa justifica-se pelo fato de que as fontes eclesiásticas possuem informações privilegiadas a respeito das populações indígenas, sendo que a esta cabe o papel de registrar desde o nascimento, casamento e óbito de todo o vilarejo, portanto, através dos registros é possível reconstituir as famílias de determinado período, pois tais documentos possuem informações como condição social, sexo, cor, faixa etária, etnia e através destas remontar laços de parentesco consanguíneo e espiritual, configurando em parte como se caracterizava as famílias da época. Para tanto, pretende-se responder qual o padrão predominante nos Registros de Batismo, se legítimos ou ilegítimos? E em relação aos descimentos, qual o fluxo de etnias descidas para as Vilas de Ega e de Nogueira registradas pelos párocos. Sugere-se a este questionamento que nas vilas podem conter tanto os padrões de legitimidade quanto de ilegitimidade pelo quantitativo populacional indígena habitando as Vilas e também os que estão sendo descidos.
URI: http://repositorioinstitucional.uea.edu.br//handle/riuea/1250
Aparece nas coleções:Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Etnia e legitinidade na vila colonial de ega- contribuições para história indígena na amazônia ( 1800- 1820).pdfEtnia e legitimidade na vila colonial de ega- contribuições para história indígena na amazônia ( 1800- 1820).pdf837,07 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons