DSpace logo

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorioinstitucional.uea.edu.br//handle/riuea/2891
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorNascimento, Dênis Aguero do-
dc.date.available2020-07-15-
dc.date.available2020-07-20T20:59:56Z-
dc.date.issued2019-03-25-
dc.identifier.urihttp://repositorioinstitucional.uea.edu.br//handle/riuea/2891-
dc.description.abstractThis work had as main scope the management of hydrometric data generated in Julian years of 2015 and 2016 in the Experimental Basin of Igarapé Asu (BEIA). It is a site of hydrometeorological research implemented in the middle of the year 2000 and that went through reinstrumentation and optimization of the generation of the hydrometric series from 2015. The area analyzed corresponds to one of the Monitoring Sections of BEIA. The area was estimated at 6.31 km², is of primary forest preserved and is subject to the pulses of the hydrological regime that promotes flooding of the floodplain area. For the best evaluation of the flow rates, the Manning roughness coefficient was determined at the fluviometric point of interest and total pressure series were converted into mH2O to estimate the discharge / discharge ratio. The pluviometric data of the network of stations had their consistency analyzed by the method of Double Mass, indicating little variability of the occurrence of rainfall in the studied area. With the morphometric analysis of the basin, the plain was calculated with 51% of the catchment area, and the plateau with 35%. The surface of the plain is close to the water table, where in the valley bottom regions the soil is characterized by hydromorphy, with rapid saturation in periods of more intense rains, a fact that promotes through the Hortonian flow a rapid hydrological response in the increase of the quota limnimetric, however, with long periods of resection in concentration time. The plateau has an important role in the storage of groundwater, which in later periods maintains the hydraulic dynamics of the drainage network by means of lateral contribution, as well as the supply of the flora of the lower zones. This characteristic caused a deficit in the water table in the studied years, a fact that indicates the susceptibility of the hydrological regime of the BEIA to the rainfall variation, especially in years with more intense El Niño - Southern Oscillation (ENSO) phenomenon, as occurred in 2016. The hydrological investigation indicated an intimate relationship between the saturated zone, the vegetation and the drainage network, varying the runoff coefficient between 0.51 and 0.30 in the studied years, hindering the indirect estimation of evapotranspiration by the calculation of the water balance by the simplified method of the mass continuitypt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade do Estado do Amazonaspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.rightsAtribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectBacia experimentalpt_BR
dc.subjectRecursos hídricospt_BR
dc.subjectAmazônia Centralpt_BR
dc.titleGerenciamento de recursos hídricos em uma bacia experimental na Amazônia Centralpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.date.accessioned2020-07-20T20:59:56Z-
dc.contributor.advisor1Silva, Joecila Santos da-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9251166206311892pt_BR
dc.contributor.referee1Silva, Joecila Santos da-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9251166206311892pt_BR
dc.contributor.referee2Sousa, Isaque dos Santos-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/4187086958040820pt_BR
dc.contributor.referee3Almeida, Cristiano Das Neves-
dc.contributor.referee3Latteshttp://lattes.cnpq.br/5858373824027435pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/3840289027821497pt_BR
dc.description.resumoEste Trabalho teve como escopo principal o gerenciamento de dados hidrométricos gerados nos anos julianos de 2015 e 2016 na Bacia Experimental do Igarapé Asu (BEIA). Trata-se de um sitio de pesquisas hidrometeorológicas implementado em meados do ano 2000 e que passou por reinstrumentação e otimização da geração das series hidrométricas a partir de 2015. A área analisada corresponde a uma das Seções de monitoramento da BEIA. A superfície foi calculada em 6,31 km², é de floresta primária preservada e está sujeita aos pulsos do regime hidrológico que promove inundações da área de várzea. Para a melhor avaliação das vazões, determinou-se o coeficiente de rugosidade de Manning no ponto de interesse fluviométrico e converteram-se séries de pressão total em mH2O para estimativa das vazões pela relação cota / descarga. Os dados pluviométricos da rede de estações tiveram sua consistência analisada pelo método de Dupla Massa, indicando pouca variabilidade da ocorrência das chuvas na área estudada. Com a análise morfométrica da bacia, calculou-se a planície com 51% da área de captação, e o platô com 35%. A superfície da planície é próxima do lençol freático, onde nas regiões de fundo de vale o solo é caracterizado por hidromorfia, com rápido saturamento em períodos de chuvas mais intensas, fato que promove por meio do escoamento hortoniano uma célere resposta hidrológica no aumento da cota limnimétrica, porém, com períodos de resseção longos no tempo de concentração. O platô tem importante papel no armazenamento de água subterrânea, que em períodos mais estios mantém a dinâmica hidráulica da rede de drenagem por meio de contribuição lateral, assim como, o suprimento da flora das zonas mais baixas. Essa característica provocou recarga deficitária do lençol freático nos anos estudados, fato indicador da suscetibilidade do regime hidrológico da BEIA à variação pluviométrica, sobretudo em anos com incidência de fenômeno El Niño - Oscilação Sul (ENOS) mais intensos, como ocorrido em 2016. A investigação hidrológica indicou intima relação entre a zona saturada, a vegetação e a rede de drenagem, variando o coeficiente de runoff entre 0,51 e 0,30 nos anos estudados, dificultando a estimativa indireta da evapotranspiração pelo cálculo do balanço hídrico pelo método simplificado da continuidade da massa.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.programPROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO E REGULAÇÃO DE RECURSOS HÍDRICOSpt_BR
dc.relation.referencesABREU, F. A. M.; CAVALCANTE, I. N.; MATTA, M. A. S. O Sistema Aquífero Grande Amazônia - SAGA: Um imenso potencial de água subterrânea no Brasil. In: III INTERNATIONAL CONGRESS ON SUBSURFACE ENVIRONMENTE. Anais do III Congresso Internacional de Meio Ambiente Subterrâneo, São Paulo, 2013. ANDRÉASSIAN V. Waters and forests: from historical controversy to scientific debate. Journal of Hydrology, v.291, n.1-2, p. 1-27, 2004. AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS. Conjuntura dos recursos hídricos no Brasil 2017: relatório pleno / Agência Nacional de Águas. Brasília, 2017. AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS. Diretrizes e análises recomendadas para a consistência de dados fluviométricos. Brasília, 2011. AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS. Divisões Hidrográficas do Brasil. Disponível em: <http://www3.ana.gov.br/portal/ANA/panorama-das-águas/divisoeshidrograficas> Acesso em: 10 Fev. 18. AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS. Mapa Quali-quantitativo. Disponível em: <http://portal1.snirh.gov.br/ana/apps/webappviewer/index.html?id=57267da1a19a4a 183dc8e2d0f6fea67> Acesso em: 22 Dez. 17. ÁGUAS AMAZÔNICAS. Fluxos e inundações. Disponível em: <http://pt.águasAmazônicas.org/águas-2/fluxos-e-inundacoes/>. Acesso em 03 Mar. 2019. ALMEIDA, C. N.; FREITAS, E. S.; BARBOSA, L. R.. Desenvolvimento De Uma Planilha Para Definição De Eventos Chuvosos a Partir do Critério do Mínimo Tempo Entre Eventos. In: XIII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE. Anais do XIII Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste, Aracaju, 2016. ALMEIDA, C. N.; FREITAS, E. S.; BARBOSA, L. R.; SILANS, A. M. B. P. Operação e manutenção da bacia hidrográfica experimental do riacho Guaraíra: desafios e dificuldades enfrentados ao longo de 12 anos. IN: XXI SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS. Anais do XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, Brasília, 2015. ALVERGA, L. H. M. Levantamento e Cadastro de Bacias Experimentais no Brasil. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia) - Universidade Federal da Paraíba. Campinha Grande, 2016. Disponível em: <http://security.ufpb.br/ccec/contents/documentos/tccs/2015.2/levantamento-ecadastro-de-bacias-experimentais-no-brasil.pdf>. Acesso em: 15 Jan.2018. AMAZON BASIN SPATIAL DATABASE CREATION. Disponível em: <http://gis.harvard.edu/services/project-consultation/project-resume/amazon-basinspatial-database-creation>. Acesso em: 10 Fev. 17. ARAÚJO R. F. Estrutura do Dossel, Dinâmica Florestal e Fenologia Foliar Com Uso de Aeronave Remotamente Pilotada. Tese de Doutorado: INPA: Tese de doutorado. Programa de Ciências Florestais CFT/INPA, Manaus, AM, 2019. ARCOVA, F. C. S. Balanço hídrico, características do deflúvio e calibragem de duas microbacias hidrográficas na serra do mar. Dissertação de Mestrado. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiróz, Universidade de São Paulo. Piracicaba, 1996. AYRES, M. C. Hidrometria: medição de vazão. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Ciências Agronômicas) -UNESP, Botucatu - SP, 2001. BARTHEM, R. B.; FABRÉ, N. N. Biologia e diversidade dos recursos pesqueiros da Amazônia. In: Ruffino, M.L. (Org.). A pesca e os recursos pesqueiros na Amazônia Brasileira. Manaus: Provárzea, p. 11-55, 2004. BATES C. G.; HENRY A. J. Forest and Streamflow Experiment a t Wagon Wheel Gap, Colorado, Monthly Weather Review Snpplement No. 30, U.S. Weather Bureau, Washington, D.C., p. 79, 1928. BERTONI, J. C.; TUCCI, C. E. M. Precipitação. In.: Hidrologia: Ciência e Aplicação, Org. Carlos E. M. 4. ed. Porto Alegre, 2013. BORMA, L. S. Mudanças climáticas e o ciclo hidrológico no Brasil. In: Argemiro Luís Brum, Carolina Bilibio, Jeferson F. Selbach, Oliver Hensel. (Org.). Sustentabilidade do uso da água nos trópicos e sub-trópicos. 1ed.Ijuí: Ed. Unijuí, v. 1, p. 63-102, 2013. BORMA, L. S.; NOBRE, C. A. Secas na Amazônia: causas e consequências. 1. ed. São Paulo, 2013. BRASIL. Decreto n° 94.076, de 5 de marco de 1987. Institui o Programa Nacional de Microbacias hidrográficas e da outras providencias. 1987. BRASIL. Lei 9.443, de 08 de janeiro de 1997. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9433.htm. Acesso em: 08 Mar. 2017. BRASIL. Lei nº 9.984/2000. Disponível em <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9984.htm#art29>. Acesso em: 24 dez. 2017. BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento: Agenda 21. Brasília: Diário Oficial da União, 1994. CARNEIRO, V. M. C. Composição florística e análise estrutural da floresta primária de terra firme na bacia do rio Cuieiras. 2004. 77p. Dissertação de mestrado. Instituto de Pesquisas da Amazônia Universidade Federal do Amazonas. Manaus, 2004. CHAMBERS, J. Q.; ARTAXO, P. Biosphere-atmosphere interactions: Deforestation size influences rainfall. Nature Climate Change, v. 7, p. 175-176, 2017. CHAUVEL, A. ; GUILLAUMET, J.L. SCHUBART, H. O. R. Importance et distribution des racines et des êtres vivants dans un latossol argileux sous forêt amazonienne. Revue D'Ecologie et de Biologie du Sol 24(1), 19-48, 1987a. CHAUVEL, A. ; LUCAS, Y. ; BOULET, R. On the genesis of the soil mantle of the region of Manaus, central Amazonia, Brazil. Experientia 43, 234 – 241, 1987b. COE, M.T.; OLEJNICZAK. N. LBA Regional River Discharge Data (Coe and Olejniczak) ORNL DAAC, Oak Ridge, Tennessee, USA, 2003, Disponível em: <https://doi.org/10.3334/ORNLDAAC/685>. Acesso em: 24 Jun. 2018. CUARTAS, A. L.; TOMASELLA, J.; NOBRE, A. D.; NOBRE, C. A.; HODNETT, M. G.; WATERLOO, M. J.; OLIVEIRA, S. M.; RANDOW, R. C. V.; TRANCOSO, R.; Ferreira, M. Distributed hydrological modeling of a micro-scale rainforest watershed in Amazonia: Model evaluation and advances in calibration using the new HAND terrain model. Journal of Hydrology (Amsterdam), v. 462-463, p. 15-27, 2012. CUARTAS, L. A.; TOMASELLA, J.; NOBRE, A. D.; WATERLOO, M. J.; MÚNERA, J. C. Interception water-partitioning dynamics for a pristine rainforest in Central Amazonia: Marked differences between normal and dry years. Agricultural and Forest Meteorology, v. 145, p. 69-83, 2007. CUNHA, E. F. Conflitos, recategorizacao e redelimitacao do parque estadual do rio negro setor sul. 2011. Dissertação de Mestrado. Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus, 2011. ELSENBEER, H.; NEWTON, B.E.; DUNNE, T. MORAES, J.M. Soil hydraulic conductivities of latosols under pasture, forest and teak in Rondonia, Brazil. Hydrological Processes. 13, 1417-1422, 1999. ELSENBEER, H.; VERTESSY, R. A. Stormflow generation and flowpath characteristics in an Amazonian rainforest catchment. Hydrological Processes, 14, 2367 – 2381, 2000. EMBRAPA. Projeto Paisagens Sustentáveis Brasil. Disponível em: <https://www.embrapa.br/busca-de-solucoes-tecnologicas/-/produtoservico/3862/paisagens-sustentaveis>. Acesso em: 08 Ago. 2018. ESRI. Arc Hydro Tools version 2,0 for ArcGIS 9.2 Tutorial. California, 2011. EXPERIMENTO DE GRANDE ESCALA DA BIOSFERA-ATMOSFERA DA AMAZÔNIA. Plano Científico - LBA2. Disponível em: <http://lba2.inpa.gov.br/media/arquivos_lba/pdfs/LBA_2_Plano_Cientifico_Portugues _Ago_2007.pdf>. Acesso em: 23 mar. 2017. FAN, J.; ROSENFELD, D.; ZHANG, Y.; GIANGRANDE, S. E.; LI, Z.; MACHADO, L. A. T.; MARTIN, S.; YANG, Y.; WANG, J.; ARTAXO, P.; BARBOSA, H. M. J.; BRAGA, R. C. ; COMSTOCK, J. M.; FENG, Z.; GAO, W; GOMES, H. B.; MEI, F.; PÖHLKER, C.; PÖHLKER, M. L. ; Pöschl, U.; SOUZA, R. A. F. Substantial convection and precipitation enhancements by ultrafine aerosol particles. Science. v. 359, p. 411-418, 2018. FAO. The challenge of sustainable forest management: what future for world's forests. Rome FAO 128, 1995. FELICES, A. R. Hidráulica de tuberías y canales. Lima: Universidad Nacional deIngeniería. Facultad de Ingeniería Civil, p. 516, 2007. FILIZOLA, N.; CÂNDIDO, L.; MANZI, A.; et al. Variabilidade hidrológica na Amazônia. Uma perspectiva para a elaboração do balanço hídrico regional. Dialnet. n. S/n°, p. 109-117, jan. 2010. FISCH, G.; MARENGO, J. A.; NOBRE, C. A. Clima da Amazônia. Disponível em: <http://climanalise.cptec.inpe.br/~rclimanl/boletim/>. Acesso em: 18 dez. 2018. FISCH, G.; NOBRE, C. A. Uma Revisão Geral do Clima da Amazônia. Acta Amazônica, v. 28, n.2, 1998. FONTES, C. G., et al. Dry and hot: the hydraulic consequences of a climate change – type drought for Amazonian trees. Phil. Trans. R. Soc. B 373, 20180209. (doi:10.1098/rstb.2018.0209), 2018. FRANÇA, M. N. C.; MONTEIRO, M. T. F.; CANDIDO, L. A.; et al. Relação entre a precipitação e os fluxos de água na interação com o dossel florestal na amazônia. IN: XXI SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS Anais... Brasília, 2015. Disponível em: <http://www.evolvedoc.com.br/sbrh/busca-por-trabalhos-tecnicos>. Acesso em: 22 mar. 2017. FRANKEN, W. K.; LEOPOLDO, P. R.; RIBEIRO, M. N. G. Interceptacao das Precipitações em Floresta Amazônica de Terra Firme. Acta Amazônica, v. 12 (3), p. 15-22, 1982. FRANZINELLI, E. Características morfológicas da confluência dos rios Negro e Solimões (Amazonas, Brasil). Revista Brasileira de Geociencias, 41(4), p. 587-596, 2011. FREITAS, E. S.; BARBOSA, L. R.; ALMEIDA, C. N. Desenvolvimento de software em Excel para análise de dados e auxílio na manutenção de bacias hidrográficas. In: XXI SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS. Anais do XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, Brasília, 2015. GARCÍA-RUIZ, J. M.; GALLART, F.; Las cuencas experimentales como base para el estudio de la erosión y la desertificación. En: Ibáñez, J.J., Valero, B. & Machado, C. (eds): El paisaje mediterráneo a través del espacio ydel tiempo. Implicaciones en la desertificación. Geoforma Ediciones. Logroño, 221-238, 1997. GARSTANG, M.; FITZJARRALD, D. R. Observations of surface to atmosphere interactions in the tropics, Oxford University Press, New York, p.405, 1999. GEO AMAZÔNIA. Perspectivas do Meio Ambiente na Amazônia. PNUMA/OTCA/ Centro de Pesquisa da Universidad del Pacifico. 2008. GOLDENFUM, J. A. Pequenas bacias hidrológicas: conceitos básicos. In: João Batista Dias de Paiva; Eloiza Maria Cauduro Dias de Paiva. (Org.). Hidrologia aplicada à gestão de pequenas bacias hidrográficas. Porto Alegre, p. 3-13, 2001. GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS. Indicadores de Desenvolvimento do Estado do Amazonas 2018. Disponível em http://www.seplancti.am.gov.br/wpcontent/uploads/2019/01/Indicadores-de-Desempenho-do-Estado-do-Amazonas.pdf Acesso em: 18 Fev. 18 HIGUCHI, N.; CHAMBERS, J.; SANTOS, J.; RIBEIRO, R.J.; PINTO, A.C.M.; SILVA; R.P.; ROCHA, R.M.; TRIBUZY, E.S. Dinâmica e balanço do carbono da vegetação primária da Amazônia Central. Floresta. 34(3): 295-304, 2004. HIGUCHI, N.; SANTOS, J.; RIBEIRO, R.J.; FREITAS, J.V.; VIEIRA, G.; COIC, A.; MINETTE L.J. Crescimento e Incremento de uma Floresta Amazônica de Terra-Firme Manejada Experimentalmente. In: Biomassa de Nutrientes Florestais. INPA/ DFID, p. 89–132, 1997. HIGUCHI, N.; SANTOS, J.; RIBEIRO, R.J.; MINETTE, L.; BIOT, Y. Biomassa da parte aérea da vegetação de floresta tropical úmida de terra-firme da Amazônia Brasileira. Acta Amazônica. 28 (2): 153-165, 1998. HIGUCHI, N.; SANTOS, J.; LIMA, A. J. N.; HIGUCHI, F. G.; CHAMBERS, J. Q. A floresta Amazônica e a água da chuva. Floresta (UFPR. Impresso), v. 41, p. 427- 434, 2011. HODNETT, M. G.; OYAMA, M.D.; TOMASELLA, J.; MARQUES FILHO, A. O.. Comparisons of long-term soil water storage behaviour under pasture and forest in three areas of Amazonia. In: Amazonian Deforestation and Climate, Eds Gash, J., Nobre, C.A., Roberts, J.M., and Victoria, R.L. John Wiley, Chichester, U.K. p. 57-77, 1996a. HODNETT, M.G.; I, VENDRAME, A.O.; MARQUES FILHO, M.D.; OYAMA, J. T. Soil and groundwater behaviour in a catenary sequence beneath forest in Central Amazonia: I. Comparisons between plateau, slope and valley floor. Hydrology and Earth Systems Sciences. 1(2):265-277, 1997a. HODNETT, M.G.; I. VENDRAME, M.D.; OYAMA, A.O.; MARQUES FILHO, J. T. Soil water storage and groundwater behaviour in a catenary sequence beneath forest in Central Amazonia. II. Floodplain water table behaviour and implication for streamflow generation. Hydrology and Earth Systems Sciences, 1(2):279-290, 1997b. HORTON, R.E. The role of infiltration in the hydrologic cycle. Trans. Am. Geophys. Un. 14, p.446-460, 1933. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. RBMC - Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS. Disponível em: <https://ww2.ibge.gov.br/home/geociencias/geodesia/rbmc/rbmc.shtm?c=7> acesso em 12 Dez. 2018. INSTITUTO DE PESQUISAS ECOLOGICAS. Plano de Gestão Parque Estadual do Rio Negro Setor Sul: Versão para consulta pública. Manaus, v.1 p.214, 2010. ISHIHARA, J. H.; FERNANDES, L. L.; DUARTE, A. A. A. M.; LOUREIRO, G. E. Avaliação do Monitoramento Pluviométrico da Amazônia Legal. Engenharia Ambiental (Online), v. 10, p. 132-144, 2014. JORDAN, C.F.; HEUVELDOP, J. The water bridget of an Amazonia rain forest. Acta Amazônica. 11 ( 1), p.87-92, 1981. KHANNA, J.; MEDVIGY, D.; FUEGLISTALER, S.; WALKO, R. Regional dry-season climate changes due to three decades of Amazonian deforestation. Nature Climate Change 7(3), 200–204, 2017. KOBIYAMA, M.; MOTA, A.A.; CORSEUIL, C.W. Recursos hídricos e saneamento. Curitiba: Ed. Organic Trading, Curitiba, p. 160, 2008. KOBIYAMA, M.; GRISON, F.; MOTA, A.A. Curso de capacitação em hidrologia e hidrometria para conservação de mananciais, 3ª edição. Florianópolis: UFSC/CTC/ENS/LabHidro, Florianópolis , 2011. L´VOVICH, M.I.; Water Resources and Their Future. Litho Crafters Inc., Michigan. Mahedeva, S.M., Mall, I.D., Prasad, B., Mishra, I.M., 1997. Removal of phenol by adsorption on coal flyash and activated carbon. Pollut. Res. 16, 170,175, 1979. LENCASTRE, A. (1996). Hidráulica geral. Universidade Nova Lisboa, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Lisboa, Portugal. LEOPOLDO, P. R.; FRANKEN, W. K.; SALATI, E. Balanço Hídrico de Uma Pequena Bacia Hidrográfica em floresta Amazônica de terra firme. Acta Amazônica, v. 12 (2), p. 333-337, 1982. LIMA, W. P. Hidrologia florestal aplicada ao manejo de bacias hidrográficas. Piracicaba, p. 253, 2008. LIMA, W. P. Princípios de Hidrologia Florestal para o Manejo de Bacias Hidrográficas. 1982. LIMERINOS, J. T.; RESOURCES, C. D. O. W. Determination of the Manning coefficient from measured bed roughness in natural channels. US Government Printing Office Washington, DC. 53, 1970. LUIZA, C.; VALÉRIA, A.; OLIVEIRA, K.; et al. Importância de dados Hidrometeorológicos Confiáveis no Gerenciamento de Recursos Hídricos. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/267844665_IMPORTANCIA_DE_DADOS _HIDROMETEOROLOGICOS_CONFIAVEIS_NO_GERENCIAMENTO_DE_RECUR SOS_HIDRICOS>. Acesso em: 29 mar. 2017. MARENGO J. A. Condições Climáticas e Recursos Hídricos no Norte Brasileiro. In: FBMC; ABRH. (Org.). Clima e Recursos Hídricos. Porto Alegre, p. 117-156, 2003. MARENGO J. A.; FISCH, G.; MARENGO, J.; NOBRE, C. Uma Revisão Geral Sobre O Clima da Amazônia. Acta Amazônica, Manaus, v. 28, n.2, p. 101-126, 1998. MARENGO, J. Characteristics and variability of the atmospheric water balance of the Amazon Basin. In Extended Abstracts of the 6th International Conference on Southern Hemisphere. Meteorology and Oceanography, Santiago, Chile, p. 284-285, 2000. MARQUES FILHO, A. O.; FERREIRA, S. J. F.; MIRANDA, S. Á. F. Modelo de escoamento superficial em bacia experimental da Reserva Florestal Adolpho Ducke. Acta Amazônica. (Impresso), v. 39, p. 907-922, 2009. MARQUES FILHO, A.O.; DALLAROSA, R.G.; PACHÊCO, V.B. Radiação solar e distribuição vertical de área foliar em floresta: Reserva Biológica do Cuieiras – ZF2. Acta Amazônica. Manaus, 35 (4): p. 427- 436. 2005. MENDONÇA, A. S. F. Balanço Hídrico. In: João Batista Dias de Paiva; Eloiza Maria Cauduro Dias de Paiva. (Org.). Hidrologia Aplicada à Gestão de Pequenas Bacias Hidrográficas. Porto Alegre, v. 1, p. 165-168, 2016. MENEGUZZO, I. S. Análise da degradação ambiental na área urbana da bacia do rio Arroio Gertrudes, Ponta Grossa, PR.: uma contribuição ao planejamento ambiental. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Paraná. Curitiba, p. 100. 2006. MIRANDA, E.V. Padrão de Desenvolvimento Radial Horário de Fuste de Três Espécies Florestais Típicas da Amazônia Utilizando Dendômetros Automáticos. Dissertação de Mestrado, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia/UFAM, Manaus, p.76, 2002. MOLION, L. C. B. Gênese do El Niño. Revista Brasileira de Climatologia, v.21. 2237-8642 (Eletrônica), 2017. MORAES, M. E. B.; LORANDI, R. Métodos e Técnicas de Pesquisa em Bacias Hidrográficas. 1. ed. Ilhéus: Editus, v.1, p. 283, 2016. MOSCA, A. A. O. Caracterização hidrológica de duas microbacias visando a identificação de indicadores hidrológicos para o monitoramento ambiental do manejo de florestas plantadas. Dissertação Mestrado. Piracicaba-SP: Universidade de São Paulo/Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Piracicaba-SP, p. 88 2003. MOTA, A. A. Tempo de concentração em pequena bacia experimental, 2012, 131 p, Dissertação de Mestrado em Engenharia Ambiental. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2012. NASCIMENTO, D. A.; OLIVEIRA, M. F.; DAMASCENO, S. B.; SILVA, J. S. Importância de estudo pluviométrico na gestão dos recursos hídricos: observações aplicada em uma microbacia da amazônia central. IN: XXII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS - CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA ÁGUA: INOVAÇÃO E OPORTUNIDADES PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, 2017, Florianópolis. Anais do XXII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos. Porto Alegre, p. 120-128, 2017. NATIONAL WEATHER SERVICE. NWS Newsletters, Service Assessments and Major Reports. Disponível em: <http://www.weather.gov/publications/>. Acesso em: 15 mar. 2017. NGE-TROPICS. Research Priorities for Tropical Ecosystems Under Climate Change Workshop Report. Disponível em: https://tes.science.energy.gov/workshops/NGEETropics.shtml. Acesso em: 31 mar. 2017. NOAA – NATIONAL WEATHER SERVICE. Climate Prediction Center. Disponível em: < http://origin.cpc.ncep.noaa.gov/products/analysis_monitoring/ensostuff/ONI_v5.php>. Acesso em: 31 Mai. 2018. NOBRE, A. D. The future climate of Amazonia: scientific assessment report. 1. ed. Amazônica: ARA Articulación Regional Amazônica, 2014. NÓBREGA, RODOLFO L.B.; GUZHA, ALPHONCE C. ; LAMPARTER, GABRIELE ; AMORIM, RICARDO S.S. ; COUTO, EDUARDO G. ; HUGHES, HAROLD J. ; JUNGKUNST, HERMANN F. ; GEROLD, GERHARD . Impacts of land-use and landcover change on stream hydrochemistry in the Cerrado and Amazon biomes. Science Of The Total Environment, v. 635, p. 259-274, 2018. NORTCLIFF, S.; ROSS, S.M.; THORNES, J.B. Soil moisture, runoff and sediment yield from differentially cleared tropical rainforest plots. In Vegetation and Erosion. ed J.B.Thornes. John Wiley, Chichester, UK. p. 419-436. 1990. NORTCLIFF, S.; THORNES, J.B. Floodplain response of a small tropical stream. In: Catchment experiments in fluvial geomorphology. Eds T.P.Burt and D.E.Walling. Geo Books, Norwich, UK. p.73-85, 1984. NORTCLIFF, S.; THORNES, J.B. Seasonal variations in the hydrology of a small forested catchment near Manaus, Amazonas, and its implications for management. In: Tropical Agricultural Hydrology. Eds R. Lal and E.W. Russell. John Wiley, New York. p. 37-57, 1981. NORTCLIFF, S.; THORNES, J.B.; Water and cation movement in a tropical rainforest environment: 1. Objectives, experimental design and preliminary results. Acta Amazônica. p. 245-258, 1978. PAIVA, J. B. D.; PAIVA, E. M. C. D . Hidrologia aplicada à gestão de pequenas bacias hidrográficas. Porto Alegre, v. 2. p. 627, 2016. PIMENTEL, E. T.; HAMZA, V. M. Utilização de métodos geotérmicos para delinear sistemas de fluxo de água subterrânea profunda em bacias interiores paleozoicas do Brasil. Hydrogeology Journal, v. 22, p. 107-128, 2014. PINTO, N. L. S.; HOLTZ, A. C. T.; MARTINS, J. A.; GOMIDE, F. L. S. Hidrologia Básica. São Paulo: Edgard Blucher; Rio de Janeiro: Fundação Nacional de material escolar, p. 278, 1976. PITTIGLIANI, M. Controle de Qualidade de Dados Hidrometeorológicos do Simepar. In: CONGRESSO BRASILEIROS DE METEOROLOGIA. 11°., 2000, Rio de Janeiro - RJ. Anais... Rio de Janeiro, 2000. Disponível em: <http://www.cbmet.com/index.php>. Acesso em: 14 mar. 2017. PROGRAMA DE GRANDE ESCALA BIOSFERA-ATMOSFERA DA AMAZÔNIA. Boletim Anual de Precipitação Pluviométrica Sobre a Microbacia Experimental do Igarapé Asu referente ao ano de 2016. Disponível em: <http://lba2.inpa.gov.br/index.php/repository/Boletins-Hidrol%C3%B3gicos/>. Acesso em: 31 mar. 2017. RADAM. Programa de Integração Nacional. Levantamentos de Recursos Naturais. Radam (projeto) DNPM, Ministério das Minas e Energia. Manaus, v.18, p.626, 1978. RANKIN-DE-MÉRONA, J.; PRANCE, G. T.; HUTCHINGS, R. W.; SILVA, M. F.; RODRIGUES W. A. Preliminary results of a large-scale tree inventory of upland rain forest in the Central Amazon. Acta Amazônica. Manaus, p.485-492, 1992. RANZANI, G. Identificação e caracterização de alguns solos da Estação Experimental de Silvicultura Tropical do INPA. Acta Amazônica. Manaus, p.7-41, 1980. RENNÓ, C. D.; NOBRE, A. D.; CUARTAS, L. A.; et al. HAND, a new terrain descriptor using SRTM-DEM: Mapping terra-firme rainforest environments in Amazonia. Remote Sensing of Environment. Cleveland-USA; n. 112, p. 3469-3481, jun. 2008. RENNÓ, C. D; SOARES, J. V. Modelos Hidrológicos para Gestão Ambiental. Disponível em: http://www.dpi.inpe.br/geopro/modelagem/relatorio_modelos_hidrologicos.pdf. Acesso em: 14 mar. 2017. ROZEMBERG, I. M. O Sistema internacional de Unidades – SI. São Caetano, SP: escola de Engenharia de Mauá, 2000. RHA. Recursos Hídricos e Ambientais. Qualificação de Dados Hidrológicos e Reconstituição de Vazões Naturais no País. Relatório Final do Contrato N° 016/ANA/2009. Agência Nacional de Águas. p. 442, 2011. RODRIGUEZ, D. A.; TOMASELLA, J . On the ability of large-scale hydrological models to simulate land use and land cover change impacts in Amazonian basins. Hydrological Sciences Journal. v. 61, p. 1-16, 2016. RODRIGUEZ, D. A.; TOMASELLA, J.; LINHARES, C.A. Is the forest conversion to pasture affecting the hydrological response of Amazonian catchments? Signals in the Ji-Paraná Basin. Hydrological Processes. v. 24, p. 1254-1269, 2010. ROSAS, A. F.; FRANÇA, M. N. C. N.; NASCIMENTO, D. A.; et al. Variabilidade espaço-temporal da precipitação em uma área de microbacia na amazônia central. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS. XXI. Anais... 2015, Brasília - DF. Disponível em: <http://www.evolvedoc.com.br/sbrh/busca-por-trabalhostecnicos>. Acesso em: 22 mar. 2017. ROSS, S.M.; THORNES, J.B.; NORTCLIFF, S. The Maracá rainforest Project, II. Soil hydrology, nutrient and erosional response to the clearance of terra firme forest, Maracá Island, Roraima, northern Brazil. The Geographical Journal, 156:267-282. 1990. SARI, V.; PAIVA, E. M. C. D.; PAIVA, J. B. D. Interceptação da chuva em diferentes formações florestais na região sul do Brasil. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, 2016. SETTI, A. A.; LIMA, WERNECK, J. E. F.; CHAVES, A. G. M.; et al. Introdução ao Gerenciamento de Recursos Hídricos. 2° ed. Brasília: Agência Nacional de Energia Elétrica, 2001. SILVA, J. S. Altimetria espacial em zonas úmidas da bacia Amazônica: aplicações hidrológicas. Éditions universitaires européennes, 2010. SILVA, J. S.; CALMANT, S.; SEYLER, F.; et al. Radar Altimetry Aids Managing Gauge Networks. Water Resources Management. n. 28, p. 587-603, 2014. SILVEIRA, A. L. L. Ciclo Hidrológico e Bacia Hidrográfica. In: CARLOS EDUARDO MORELLI TUCCI. Hidrologia : Ciência e Aplicação. 2ed.Porto Alegre: Editora da Universidade, p. 35-51, 1993. SOUZA, C. A. S. Turnover e biomassa de raízes finas e suas relações com o padrão de crescimento em diâmetro de árvores em uma floresta de terra firme na amazônia central. Tese de Doutorado. Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Manaus, 2016. STRAHLER A. N. Quantitative geomorphology of drainage basins and channel networks, section 4 – II, in Chow, Ven Te; Maidment, D. R; Mays, L. W. (1988). Applied Hydrology. New York, 1964. TOEBES, C.; OURYVAEV, V. Representative and experimental basins, An international guide for research and practice. U.N.E.S.C.O., Paris, p. 348,1970. TOLEDO, Y. I. M.; OTANI, M. N. Projetos de Manejo de Microbacias Hidrográficas no Brasil. Informacões Econômicas, São Paulo, v. 26, n.11, p. 47-51, 1996. TOMASELLA, J.; HODNETT, M. G. Soil hydraulic properties and van Genuchten parameters for an Oxisol under pasture in central Amazonia, in: Amazonian Deforestation and Climate, p. 101-124, John Wiley, Chichester, 1996. TOMASELLA, J.; NEILL, C.; FIGUEIREDO, R.; NOBRE, A. D. Balanços Hídrico e Químico em Escala de Bacia de Drenagem Incluindo Exportações de Nutrientes de Florestas Intactas e Áreas Perturbadas. In: Amazonia and Global Change, 2009. TOMASELLA, J.; HODNETT, M.G.; CUARTAS, L.A.; NOBRE, A.D. ; WATERLOO, M.J.; OLIVEIRA, S.M. The water balance of an Amazonian micro-catchment: the effect of interannual variability of rainfall on hydrological behaviour. Hydrological Processes. v. 22, p. 2133-2147, 2008. TOMASELLA. J.; HODNETT, M.G.; CUARTAS, L.A.; NOBRE A.D.; WATERLOO, M.; OLIVEIRA, S. M. The water balance of an Amazonian micro-catchment: the effect of interannual variability of rainfall on hydrologica e behaviour. Hidrological Processes, 2007. Disponível em: <https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1002/hyp.6813> Acesso em: 13 Fev. 2019. TOMAZ, P. Cálculos hidrológicos e hidráulicos para obras municipais. São Paulo, Navegar, 2002. TONELLO, K. C.; DIAS, H. C. T.; SOUZA, A. L.; RIBEIRO, C. A. A. S.; LEITE, F. P. Morfometria da bacia hidrográfica da Cachoeira das Pombas, Guanhães - MG. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 30, n. 5, 2006. TRANCOSO, R. Mudanças na cobertura da terra e alterações na resposta hidrológica de bacias hidrográficas da Amazônia. Dissertação de Mestrado. PPGBT – INPA/UFAM. p. 139, 2006. TUCCI, C. E. M. Hidrologia: Ciência e Aplicação. 2. ed. Porto Alegre: Editora da Universidade (UFRGS), Edusp, ABRH, v. 1. p. 952, 2015. TUCCI, C. E. M. Modelos Hidrológicos. 2. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS ABRH GWP, v. 1, p. 678, 2005. TUCCI, C. E. M.; BRAGA, B. Clima e Recursos Hídricos. Porto Alegre: ABRH GWP ANA, v. 1. p. 350, 2003. UIL, H.; GEER, F.C.; GEHERELS, J.C. K. State of Art on Monitoring And Assessment of Groundwaters. UN/ECE Task Force on Monitoring and Assessment. The Netherlands Institute of Applird Geoscience: Lelystad, v.4, p. 84, 1999. UNESCO/WHO/UNEP. Water Quality Assessments - A Guide to Use of Biota. 2° ed. Printed in Great Britain: University Press, Cambridge, 1996. VAL, A. L.; SANTOS, G.M. Caderno de Debates do Grupo de Estudos Estratégicos Amazônicos (GEEA). Tomo I. 1 ed.. Manaus - AM: Editora INPA, v. 1, p. 184, 2008. VIEIRA, F. C. B.; BRITO, E. B. B. Educação Ambiental: uma análise da poluição e contaminação dos igarapés urbanos na cidade de Manaus.. In: VIII Fórum Ambiental, 2012, Tupã. Fórum Ambiental da Alta Paulista, 2012. VILLAS BOAS, M. D. Ferramentas Para Avaliação da Rede de Monitoramento de Qualidade de Água da Bacia do Rio Piabanha – RJ Com Base em Redes Neurais e Modelagem Hidrológica Rio de Janeiro: UFRJ/COPPE, Tese de doutorado. Programa de Engenharia Civil UFRJ/ COPPE, Rio de Janeiro, 2018. VILLELA, S.M.; MATTOS, A. Hidrologia aplicada. São Paulo: McGRAWHill do Brasil, p. 245, 1975. WATERLOO, M. J.; TOMASELLA, J.; HODNETT, M. G. Hydrological measurement techniques, Igarapé Asu Catchment. Pan-Amazônia – Parama Project, p. 35, 2004. WORLD METEOROLOGICAL ORGANIZATION. Guide to Hydrological Practices. Management of Water Resources and Application of Hydrological Practices. v.1, 2009. ZALEWSKI, M., JANAUER, G.A.,JOLÁNKAI, G. Ecohydrology – A new paradigm for the sustainable use of aquatic resources. International Hydrological Programme. Paris. 1997.pt_BR
dc.publisher.initialsUEApt_BR
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - PROFÁGUA Programa de Pós-Graduação de Mestrado em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Gerenciamento de recursos hídricos em uma bacia experimental.pdf7,87 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons