DSpace logo

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorioinstitucional.uea.edu.br//handle/riuea/2532
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorConserva, Pricilla da Silva-
dc.date.available2020-04-06-
dc.date.available2020-04-06T20:02:00Z-
dc.date.issued2017-07-07-
dc.identifier.urihttp://repositorioinstitucional.uea.edu.br//handle/riuea/2532-
dc.description.abstractThis article has the purposes of bring up gender questions that contextualize the women invisibility in dramatics writing,by an autoetnography, post-colonial feminist studies and work of four compositions that I wrote while studying at Universidade do Estado do Amazonas Bachelors in dramatics, as an self-observation about the representativiness of the women that write dramatics in Manaus Key words: Gender, women, dramarturgy, autoethnopraphy, representativiness, Manauspt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade do Estado do Amazonaspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.rightsAtribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectGêneropt_BR
dc.subjectMulherpt_BR
dc.subjectDramaturgiapt_BR
dc.subjectAutoetnografiapt_BR
dc.subjectRepresentatividadept_BR
dc.subjectManauspt_BR
dc.titleQuando ninguém pode amanhã, escrever liberta: memórias e representatividadept_BR
dc.typeTrabalho de Conclusão de Cursopt_BR
dc.date.accessioned2020-04-06T20:02:00Z-
dc.contributor.advisor1Souza, Fátima Maria da Rocha-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/4271764063399306pt_BR
dc.contributor.referee1Souza, Fátima Maria da Rocha-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/4271764063399306pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/1542461302752406pt_BR
dc.description.resumoEsse artigo tem por objetivo levantar as questões de gênero que contextualizam a invisibilidade das mulheres que escrevem para o teatro, a partir de um registro autoetnográfico, dos estudos feministas pós-coloniais e da composição de quatro dramaturgias as quais escrevi durante a graduação no curso de bacharelado em Teatro da Universidade do Estado do Amazonas como autorreflexão sobre a representatividade da mulher que escreve para o teatro em Manaus. Palavras-chave: Gênero, Mulher, Dramaturgia, Autoetnografia, Representatividade, Manauspt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.relation.referencesALMEIDA, FL., Mulheres recipientes: recortes poéticos do universo feminino nas artes Visuais [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. ALVES, Branca Moreira, PITANGUY, Jacqueline. O que é FEMINISMO. São Paulo : Ed. Abril cultural : Brasiliense, 1985. ARAÚJO, Laura Castro e GOMES, André Luís. A personagem feminina na dramaturgia brasileira contemporânea. In: GOMES, André Luís; MACIEL, André Vieira [org.]. Dramaturgia e Teatro: Intersecções.p. 69-100 EdUFAL: Maceió. 2008. BAHRI, Deepika. Feminismo e/no pós-colonialismo. Estudos Feministas, Florianópolis,p.659-688, maio-agosto 2013. BEAUVOIR, Simone de. O Segundo Sexo: a experiência vivida, v. II. Tradução Sérgio Milliet. 3ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2016. BUTLER, Judith. Relatar a si mesmo: crítica da violência ética. Tradução: Rogério Bettoni.Belo Horizonte: Autêntica editora, 2015. CHANG, Heewon. Autoethnography as Method. Left Coast Press, United States of America, 2008. PAIS, Ana. O discurso da cumplicidade: Dramaturgias comtemporâneas. Lisboa: Edições colibri, 2004. ROLNIK, Suely. Pensamento, corpo e devir: uma perspectiva ético/ estético/política no trabalho acadêmico. Cadernos de subjetividade. São Paulo, v.1, n 2, p.241-251, fev./set. 1993. RYNGAERT, Jean-Pierre. Introdução à análise do teatro. Tradução: Paulo Neves. São Paulo: Martins Fontes, 1995. SCOTT,Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Tradução: Christine Rufino Dabat e Maria Betânia Ávila. New York: Columbia University Press, 1989. SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar?. Tradução: Sandra Regina Goulart Almeida, Marcos Pereira Feitosa e André Pereira Feitosa. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010. TORRES, Iraildes Caldas: OLIVEIRA, Márcia Maria de. Tráfico de mulheres na Amazônia. Florianópolis: Editora Mulheres, 2012. VERSIANI, Daniela Beccaccia. Autoetnografia: uma alternativa conceitual. Letras de Hoje.v.37,nº4, 57-72. Porto Alegre, dezembro 2012. 24 VINCENZO, Elza Cunha de. Um Teatro da Mulher: dramaturgia feminina no palco brasileiro contemporâneo. São Paulo: Perspectiva: Editora da Universidade de São Paulo, 1992.pt_BR
dc.subject.cnpqTeatropt_BR
dc.publisher.initialsUEApt_BR
Appears in Collections:ESAT - Trabalho de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Quando ninguém pode amanhã, escrever liberta memórias e representatividad.pdf908,75 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons