DSpace logo

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorioinstitucional.uea.edu.br//handle/riuea/2170
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorSilva, Eliane Góis da-
dc.date.available2020-03-10-
dc.date.available2020-03-10T17:43:18Z-
dc.date.issued2017-09-15-
dc.identifier.urihttp://repositorioinstitucional.uea.edu.br//handle/riuea/2170-
dc.description.abstractABSTRACT This dissertation is an ethnographic study of the popular film group known as Associação Fogo Consumidor, which operates in the city of Tefé (AM) for 11 years. This group is independent and produces films from the stories told by narrators of the region, usually their own parents and grandparents. The research seeks to understand how the storytelling is being reinvented in movie language, in a context in which orality has been weakened by the communication technologies. The research was built around the following problem: is it possible to reconstruct the visibility of oral histories through the cinema? In order to reflect about this question we were based upon the following authors: Paul Ricoeur (1994), Walter Benjamin (1994), Stuart Hall (2003), Mircea Eliade (2016), Michael Pollak (1989), Eduardo Galvão (1976), Tzvetan Todorov (2010), Wim Wenders (2013), Edgar Morin (2011) and Jean-Claude Bernardet (2006). In chapter 1 we discuss the theories that conceptualize the narrative and show the necessity of its cultivation by the people. We talk about industrial cinema, show how it negatively affects the minds of oppressed people, and then we approach popular cinema and reflect on how it can free the imagination and make visible those subalternized by the hegemonic culture. Chapter 2 presents the history of the Fogo Consumidor group, summaries of life histories of six members of the group and also reports of experience of their performance in this cinema. In chapter 3 we show the stories and narrators that are a reference for Tefé's popular cinema, and we analyze how these stories are being decriminalized and at the same time resisting. Chapter 4 reflects on how the oral histories are reinvented in movie language by the group Fogo Consumidor, and how the group organizes itself to make the films. The work demonstrates that the overshadow of storytelling is not occurring by the existence of communication technologies, but as a result of the way in which these tools are being used. On the other hand, we realized that between oral narrative and popular cinema there is an important dialogue that can decolonize and cultivate cultures, wisdoms and reflections. Keywords: oral narrative; popular cinema; resistance; decolonization; Amazon.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade do Estado do Amazonaspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.rightsAtribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectCinemapt_BR
dc.subjectpopularpt_BR
dc.subjectTefépt_BR
dc.subjectEtnografiapt_BR
dc.titleA tela encantada: filmes de visagens e a reinvenção das narrativas orais no cinema popular de Tefépt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.date.accessioned2020-03-10T17:43:18Z-
dc.contributor.advisor1Costa, Veronica Prudente-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6783424840566423pt_BR
dc.contributor.referee1Costa, Veronica Prudente-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6783424840566423pt_BR
dc.contributor.referee2Enne, Ana Lúcia Silva-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/2823557639080127pt_BR
dc.contributor.referee3Wankler, Cátia Monteiro-
dc.contributor.referee3Latteshttp://lattes.cnpq.br/3720069906422017pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/7848132734017441pt_BR
dc.description.resumoRESUMO Esta dissertação é um estudo etnográfico do grupo de cinema popular conhecido como Associação Fogo Consumidor, que atua na cidade de Tefé (AM) desde 2008. O grupo é independente e produz filmes a partir das histórias contadas por narradores da região, geralmente seus próprios pais e avós. A pesquisa busca entender como a contação de histórias está sendo reinventada em linguagem cinematográfica, em um contexto em que a oralidade vem sendo enfraquecida com as tecnologias de comunicação. A pesquisa foi construída em torno do seguinte problema: é possível reconstruir a visibilidade das histórias orais por meio do cinema? Para refletir sobre essa pergunta recorremos aos seguintes teóricos: Paul Ricoeur (1994), Walter Benjamin (1994), Stuart Hall (2003), Mircea Eliade (2016), Michael Pollak (1989), Eduardo Galvão (1976), Tzvetan Todorov (2010), Wim Wenders (2013), Edgar Morin (2011) e Jean-Claude Bernardet (2006). No capítulo 1, discutimos sobre as teorias que conceituam a narrativa e mostram a necessidade do seu cultivo pelo povo. Falamos do cinema industrial, mostramos como ele pode afetar de modo negativo as pessoas oprimidas, e em seguida abordamos o cinema popular e refletimos sobre como este pode libertar a imaginação e a expressividade daqueles subalternizados pela cultura hegemônica. O capítulo 2 apresenta a história do grupo Fogo Consumidor, resumos de histórias de vida de seis integrantes do grupo e também relatos de experiência de sua atuação no cinema. No capítulo 3, mostramos as histórias e narradores que são referências para o cinema popular de Tefé, e analisamos como essas histórias estão sendo discriminadas e, ao mesmo tempo, estão resistindo. O capitulo 4 reflete sobre como as histórias orais são reinventadas em linguagem cinematográfica pelo grupo Fogo Consumidor, e como o grupo se organiza para elaborar os filmes. O trabalho demonstra que o ofuscamento da narração de histórias não está ocorrendo pela presença das tecnologias da comunicação, mas em decorrência da maneira como essas ferramentas estão sendo utilizadas. Por outro lado, percebemos que entre a narrativa oral e o cinema popular existe um importante diálogo que pode descolonizar e cultivar culturas, sabedorias e reflexões. Palavras-chave: narrativa oral; cinema popular; resistência; descolonização; Amazônia.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.programPós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanaspt_BR
dc.relation.referencesREFERÊNCIAS AGUIAR, José Vicente de Souza. Narrativas sobre povos indígenas na Amazônia. Manaus: EDUA/FAPEAM, 2012. BARBOSA, Marialva. O Filósofo do Sentido e a Comunicação. Conexão – Comunicação e Cultura (UCS). Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/conexao/article/view/209. Consultado em: 18/12/2018. BENJAMIN, Walter. O narrador: considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In:______. Obras escolhidas: magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1994. BERNARDET, Jean-Claude. O que é cinema. São Paulo: Brasiliense, 2006. CARRIÈRE, Jean-Claude. A Linguagem Secreta do Cinema; tradução Fernando Albagli, Benjamin Albagli. Ed. Especial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2014. CASCUDO, Luís da Câmara. Geografia dos mitos brasileiros. - 3. Ed. – São Paulo: Global, 2002. DE CICCO, Cláudio. Hollywood: na cultura brasileira. São Paulo: Convívio, 1979. ELIADE, Mircea. Mito e Realidade. São Paulo: Perspectiva, 2016. GEERTZ, Clifford. A Interpretação das Culturas. 1. ed. – [Reimpr.]. Rio de Janeiro: LTC, 2015. GALVÃO, Eduardo. Santos e visagens. São Paulo/Brasília: Ed. Nacional/INL, 1976. HALL, Stuart. Cultura e Representação. Rio de Janeiro: UERJ, 2016. HALL, Stuart. Da Diáspora: Identidades e Mediações Culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. MATOS, Gislayne Avelar. A palavra do contador de histórias. São Paulo: Martins Fontes, 2014. MALINOWSKI, Bronislaw. Argonautas do Pacífico Ocidental. São Paulo: Abril Cultura, 1976. MORIN, Edgar. Cultura de massas no século XX: espírito do tempo 1: neurose. Tradução: Maura Ribeiro Sardinha. 10 ed. Rio de Janeiro, 2011. TODOROV, Tzvetan. A Conquista da América: A questão do outro. Tradução: Beatriz Perrone Moisés. 4ª ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2010. 131 POLLAK, Michael. Memória, Esquecimento, Silencio. In: Estudos Históricos, Vol. 2. Rio de Janeiro, 1989. RICOEUR, Paul. Tempo e Narrativa (Tomo 1). Tradução Constança Marcondes Cesar. Campinas, SP: Papirus, 1994. SILVA, Eliane Góis da. Fogo Consumidor: expressão cultural e inclusão social na produção cinematográfica de Tefé - AM. 2015. 38f. Monografia (Graduação em Artes Visuais) - Departamento de Artes, Universidade Federal do Amazonas, Tefé, 2015. THOMSPOM, Paul. A voz do passado: história oral. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992. VELHO, Gilberto. Observando o Familiar. In: A Aventura Sociológica: Objetividade, Paixão, Improviso e Método na Pesquisa Social. Org. Edson de Oliveira Nunes. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 2007. WENDERS, Wim. Cinema Além das Fronteiras. In: Pensar a Cultura. Porto Alegre: Arquipélago Editorial, 2013.pt_BR
dc.subject.cnpqCiências Humanaspt_BR
dc.publisher.initialsUEApt_BR
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - PPGICH Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons