DSpace logo

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorioinstitucional.uea.edu.br//handle/riuea/2047
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorSantos, Anderson Guerreiro dos-
dc.date.available2019-12-23-
dc.date.available2019-12-20T15:13:45Z-
dc.date.issued2018-02-16-
dc.identifier.urihttp://repositorioinstitucional.uea.edu.br//handle/riuea/2047-
dc.description.abstractSobre la base de las observaciones sobre los cambios que constantemente ocurrieron en diversos aspectos de la sociedad, provocados principalmente por los nuevos inventos y descubrimientos, nos encontramos con que la figura del autor no era inmune a tales cambios sociales, históricos y políticos que han ocurrido desde la Edad Media. Hoy en día, con el advenimiento da la era digital, la democratización de la Internet y con ellos el llegada de fenómenos como cibercultura, inteligencia colectiva y cultura participativa, eso es perceptible que el concepto de la autoría y el comportamiento del autor no son iguales a dos practicado años atrás. En vista de esto, el presente trabajo tiene como objetivo investigar los cambios en la figura del autor planteado por el advenimiento de la era digital e del ciberespacio, en lo que respecto a sus faces y comportamientos en este ambiente. Por lo tanto, vamos a seguir las prácticas de autoría desarrolladas desde la Antigüedad hasta el siglo XX; a continuación, se observa la transformación de esas prácticas de autoría en contemporáneo, así como los cambios actuales de la posmodernidad y la fuerte tendencia de la tecnología; por último, se a ver las prácticas de autoría en el ciberespacio a través del género fanfic y del sistema Creative Commons, de esa forma, podremos realizar una correlación a las definiciones explotadas anteriormente.. Palabras clave: Ciberespacio. Autoría. Fanfiction. Creative Commons.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade do Estado do Amazonaspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.rightsAtribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectCiberespaçopt_BR
dc.subjectAutoriapt_BR
dc.subjectCreative Commonspt_BR
dc.titleDa cultura colaborativa ao livre acesso : expressões e comportamentos autorais no ciberespaçopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.date.accessioned2019-12-20T15:13:45Z-
dc.contributor.advisor1Cavalheiro, Juciane dos Santos-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/8629828786064536pt_BR
dc.contributor.referee1Cavalheiro, Juciane dos Santos-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/8629828786064536pt_BR
dc.contributor.referee2Silva, Allison Marcos Leão da-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/2862237221241530pt_BR
dc.contributor.referee3Souza, Sérgio Augusto Freire de-
dc.contributor.referee3Latteshttp://lattes.cnpq.br/1010905812755398pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/6093751461853422pt_BR
dc.description.resumoPartindo das observações sobre as transformações que constantemente ocorreram em vários aspectos da sociedade, acarretadas, sobretudo, pelas novas invenções e descobertas, verificamos que a figura do autor não ficou imune a tais modificações sociais, históricas e políticas que vêm ocorrendo desde a Idade Média. Hoje, com o advento da era digital, a democratização da internet e com eles o aparecimento de fenômenos como cibercultura, inteligência coletiva e cultura participatórias, é perceptível que o conceito de autoria e o comportamento do autor não se igualam aos até pouco tempo praticados. À vista disso, este trabalho tem como objetivo investigar as mudanças ocorridas na figura do autor suscitadas pelo advento da era digital e do ciberespaço, no que diz respeito às suas faces e a seu comportamento neste ambiente. Assim, acompanharemos as práticas autorais desenvolvidas desde a Antiguidade até o século XX; seguidamente, observaremos o processo de transformação dessas práticas autorais na contemporaneidade, bem como as mudanças atuais da pós-modernidade e a forte tendência da tecnologia e por fim, analisaremos as práticas autorais no ciberespaço através do gênero fanfic e do sistema Creative Commons, dessa forma, poderemos realizar uma correlação às definições exploradas anteriormente. Palavras-chave: Ciberespaço. Autoria. Autoria. Creative Commons.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Letras e Artespt_BR
dc.relation.referencesALVES FILHO, Francisco. A autoria nas colunas de opiniões assinadas da Folha de São Paulo. Tese. 2005. 227 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Linguagem – Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas – SP, 2005. AMERIKA, Mary. Escrita no ciberespaço: notas sobre narrativa nômade, net arte e prática de estilo de vida. In: LEÃO, Lúcia (Org.) O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Editora Senac, 2005. ARBEX, José; TOGNOLI, Cláudio Júlio. Mundo pós-moderno. São Paulo: Scipione, 1996. ARFUCH, Leonor. Antibiografias? Novas experiências nos limites. Trad. Dênia Silveira. In: SOUZA, Eneida et al. (Orgs.). O futuro do presente: arquivo, gênero e discurso. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012. BARTHES, Roland. A morte do autor. In: _________. O Rumor da língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004. BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar da pós-modernidade. Tradução: Mauro Gama; Cláudia Gama. Rio de Janeiro: Zahar, 1998. ________________. Modernidade Líquida. Tradução: Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2001. BENJAMIN, Walter. O autor como produtor. In: ________. Obras escolhidas I. São Paulo: Brasiliense, 1985. BOTELHO, José Francisco. Quem escreveu a Bíblia?. Revista Superinteressante Online. Edição 258, dezembro, 2008. BOZZI, Claudemir Lopes. John Locke e o conceito de propriedade. Revista Judicare. Alta Floresta, MT, v. 7, n. 1, p. 143-155, 2015. BRASIL, Ministério da Cultura (MinC). Entenda a lei de direitos autorais, 2014. Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/cultura/2009/11/entenda-a-lei-de-direitos-autorais> Acesso em: 17 mar. 2017. 100 CASTELLS, Manuel. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Tradução: Maria Luiza Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2003. CARBONI, Guilherme. Direito autoral e autoria colaborativa ne informação na economia da informação em rede. São Paulo: Quartier Latin, 2010. CAVALHEIRO, Juciane. A concepção de autor em Bakhtin, Barthes e Foucault. Revista Signum. Estudos da linguagem. Londrina, n 11, v. 12, p. 67-81, dez. 2008. CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: Editora UNESP, 1998. ________________. Cultura escrita, literatura e história. São Paulo: Editora Artmed, 2001. ________________. Do palco à página: publicar teatro e ler romances na época moderna – séculos XVI-XVIII. Rio de Janeiro: Casa das Palavras, 2002a. ________________. O que é um autor?: Revisão de uma genealogia. São Paulo. EdUFSCar. 2012a. ________________. História cultural do autor e da autoria. In: FAULHABER, Priscila; LOPES, José Sérgio Leite (Orgs.). Autoria e história cultural da ciência. Rio de Janeiro: Azougue, 2012b. ________________. Os desafios da escrita. São Paulo: Editora UNESP, 2002b. ________________. Figuras do autor. In: A ordem dos livros. Lisboa: Veja/Passagens, 1997. CERVANTES, Miguel de. O engenhoso cavaleiro D. Quixote de La Mancha. Segundo Livro. Tradução: Sérgio Molina. São Paulo: Editora 34, 2007. COMPAGNON, Antoine. Cours de M. Antoine Compagnon. Quatrième leçon: Généalogie de l'autorité. 2002. Disponível em: <http://www.fabula.org/compagnon/auteur4.php> Acesso em 04 jul. 2016. COUCHOT, Edmond. O embarque para Cíber: mitos e realidades da arte em rede. In: LEÃO, Lúcia (Org.) O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Editora Senac, 2005. CREATIVE COMMONS. Página inicial do projeto, 2017. Disponível em: <https://br.creativecommons.org/> Acesso em: 03 dez. 2017. DORIGATTI, Bruno. Ascensão e Declínio do Autor. In: I Seminário Brasileiro sobre Livro e História Editorial: Rio de Janeiro, 2004. 101 DRUCKREY, Timothy. Fronteiras em mudança. In: LEÃO, Lúcia (Org.) O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Editora Senac, 2005. FAULHABER, Priscila; LOPES, José Sérgio Leite (Orgs.). Autoria e história cultural da ciência. Rio de Janeiro: Azougue, 2012. FIGUEIREDO, Eurídice. Roland Barthes: da morte do autor ao seu retorno. Revista Criação e Crítica, São Paulo, n. 12, p. 182-194, jun. 2014. FONSECA, Yuri Ikeda. O reconhecimento histórico dos direitos do autor e sua proteção internacional. Âmbito Jurídico, Rio Grande, ano XIV, n. 93, out. 2011. Disponível em: <http://www.ambitojuridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=10579>. Acesso em 12 ago. 2016. FOUCAULT, Michel. O que é um autor? Portugal: Veja/ Passagens, 2002. GANDELMAN, Henrique. De Gutemberg à Internet: Direitos autorais na era digital. Rio de Janeiro: Record, 1997. GETTY IMAGENS. Title Page from the First Edition of Don Quixote by Miguel de Cervantes, 2017. Disponível em: <http://www.gettyimages.com/detail/news-photo/title-page-to-the-first-edition-of-don-quixote-by-miguel-de-news-photo/517359364#title-page-to-the-first-edition-of-don-quixote-by-miguel-de-cervantes-picture-id517359364> Acesso em: 14 dez. 2017. GIDDENS, Anthony. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003. JENKINS, Henry. Cultura da convergência. Tradução: Susana Alexandria. 2 ed. São Paulo: Aleph, 2009. KLINGER, Diana. Escrita de si como performance. Revista Brasileira de Literatura Comparada, Rio de Janeiro, n 12, p. 11-30, 2008. _____________. O escritor fora de si: considerações sobre inspiração e autoria. Criação & Crítica. São Paulo, n. 17, p. 3-14, jun./dez, 2016. LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN, Regina. O preço da leitura: leis e números por detrás das letras. São Paulo: Ática, 2001. _______________________________. A profissionalização do escritor no Brasil do século XIX. Fragmentum, Santa Maria - RS, n. 45, p. 65-92, abr/jun. 2015. LEMOS, Ronaldo. Creative Commons, mídias e as transformações recentes do direito da propriedade intelectual. Direito GV, v 1, n. 1, p. 181-187, mai., 2005. LÉVY, Pierre. Cibercultura. Tradução: Carlos I. Costa. São Paulo: Editora 34, 1999. __________. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. 4 ed. São Paulo: Edições Loyola, 2003. 102 LIPOVETSKY, Gilles; CHARLES, Sébastien. Os tempos hipermodernos. São Paulo: Barcarolla, 2004. LUTFI, Gabriela. A invasão das fanfics e os problemas que elas trazem, 2014. Disponível em: <https://potterish.com/2014/02/a-invasao-das-fanfics-e-os-problemas-que-elas-trazem/> Acesso em: 25 nov. 2017. LYONS, Martyn. Livro: uma história viva. São Paulo: Editora SESC, 2011. MANGUEL, Alberto. Ilíada e Odisseia de Homero: uma biografia. Tradução: Pedro Maia Soares. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2008. MANOVICH, Lev. Novas mídias como tecnologia e ideia: dez definições. In: LEÃO, Lúcia (Org.) O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Editora Senac, 2005. MARCUSCHI, Luiz Antônio. O hipertexto como um novo espaço de escrita em sala de aula. Linguagem & Ensino, Pelotas – RS, v. 4, n. 1, p. 79-111, 2001. MARTINO, Luís Mauro Sá. Teoria das mídias digitais: linguagem, ambiente e redes. 2 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015. MICHAELIS, Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. Verbete Fanfic, 2017. Disponível em: <http://michaelis.uol.com.br/busca?r=0&f=0&t=0&palavra=fanfic> Acesso em: 21 abr. 2017. NAVARRETE, Eduardo. Construção e funcionamento do Autor: Barthes, Foucault e Chartier. In: Revista Urutágua – acadêmica multidisciplinar, DSC UEM, n. 27, nov. 2012. NEVES, André de Jesus. Cibercultura e literatura: identidade e autoria em produções culturais participatórias e na literatura de fãs (fanfictions). Jundiaí-SP: Paco Editorial, 2014. NORONHA, Jovita Maria Gerheim. Apresentação. In: _________ (Org.). Ensaios sobre a autoficção. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014. OLIVEIRA, Rita de Cássia. Cibercultura, cultura audiovisual e sensorium juvenil. In: LEÃO, Lúcia (Org.) O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Editora Senac, 2005. PACKER, Randall. O que é multimídia, de uma vez por toda. In: LEÃO, Lúcia (Org.) O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Editora Senac, 2005. PORTANOVA, Eduardo. O autor no imaginário da pós-modernidade: repensando Flusser e Foucault. Ciências Sociais Unisinos, São Leopoldo, v. 46, n. 2, p. 152-155, mai/ago, 2010. 103 PINHEIRO, Petrilson. Práticas colaborativas de escrita via internet: repensando a produção textual na escola. Londrina: Eduel, 2013. RENA, Alemar. Do autor tradicional ao agenciador cibernético: do biopoder à biopotência. São Paulo: Annablume, 2009. ROCHA, Rose de Melo. Da geração X à geração “ctrl alt del”: consumindo tecnologia, reiniciando a cultura. In: LEÃO, Lúcia (Org.) O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Editora Senac, 2005. ROSADO, Luiz. Escrevendo juntos no ciberespaço: autoria textual coletiva em ambientes virtuais de aprendizagem. In: Anais do VI Encontro de educação e tecnologia de informação e comunicação. Universidade Estácio de Sá, 17-19 de setembro, 2008. ROSE, Mark. The Author as Proprietor: Donaldson v. Becket and the Genealogy of Modern Authorship. In: Representations, University of California Press, n. 23, p. 51-85, Summer, 1988. Disponível em: <http://www.jstor.org/stable/2928566> Acesso em: 17 set. 2016. SANTAELLA, Lucia. Panorama da arte tecnológica. In: LEÃO, Lucia (Org.) O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Editora Senac, 2005. SANTOS, Jair Ferreira. O que é pós-moderno? São Paulo: Brasiliense, 2000. SILVA, Ludmilla. Novas tecnologias e direito autoral. Jus Navigandi, Teresina, ano 17, n. 3332, ago, 2012. STECCA, Kharen et al. Do consumo ao consumismo: como uma necessidade tornou-se uma doença moderna. In: Jornal UFG – Mesa-redonda, Goiânia, ano V, n. 37, junho, 2010. SZABÓ, Inácio; SILVA, Rubens. Informação e inteligência coletiva no ciberespaço: uma abordagem dialética. Ciências e Cognições. Rio de Janeiro, v.11, p. 37-48, jun./dez, 2007. TRIDENTE, Alessandra. Direito autoral: paradoxos e contribuições para a revisão da tecnologia jurídica no século XXI. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. VARGAS, Maria Lucia Bandeira. O fenômeno Fanfiction: novas leituras e escrituras em meio eletrônico. Passo Fundo – RS: Universidade de passo Fundo, 2005. VERSIGNASSI, Alexandre; LOPES, Reinaldo José. Os dez mandamentos: a verdadeira história de Moisés. Revista Superinteressante Online. Edição 353, novembro, 2015. XAVIER, Antônio Carlos. Leitura, texto e hipertexto. In: MASCUSCHI, Luiz Antônio; XAVIER, Antônio Carlos (Orgs.). Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção de sentido. Rio de Janeiro: Lucerna, 2004. 104 ZANINI, Leonardo. Direito de autor em perspectiva histórica: da Idade Média ao reconhecimento dos direitos da personalidade do autor. Revista SJRJ, Rio de Janeiro, v. 21, n° 40, p. 211-228, ago. 2014. _______________. A proteção internacional do direito de autor e o embate entre os sistemas do Copyright e do Droit D’auteur. Revista SJRJ, Rio de Janeiro, v. 18, n° 30, p. 115-130, abr. 2011.pt_BR
dc.subject.cnpqLingüística, Letras e Artespt_BR
dc.publisher.initialsUEApt_BR
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - PPGLA Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Letras e Artes



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons