DSpace logo

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorioinstitucional.uea.edu.br//handle/riuea/2027
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorNascimento, Ítalo Klinger Rodrigues do-
dc.date.available2019-12-19-
dc.date.available2019-12-20T14:14:15Z-
dc.date.issued2013-07-14-
dc.identifier.urihttp://repositorioinstitucional.uea.edu.br//handle/riuea/2027-
dc.description.abstractThis paper shows under a multidisciplinary perspective the socio-environmental conflicts occurred in the mosaic of units of conservation in the municipality of Canutama, in the state of Amazonas. In this context, there are some groups that stand out for being culturally different, and despite of living in the central areas of the municipality, uses in their traditional practices the natural resources of the protected areas, located in areas classified as rural. The objective of this research is to investigate if the interests of those groups may become rights recognized by the legal commandment of the country. The cultural diversity of Brazil is undisputable and its reflexes in the law of the country is better noticed from the precepts of the neoconstitucionalism, the north able to accomplish the necessary social changes through the force and the changing aspect of the constitutions (GAMBI, 2009). The Federal Constitution of 1988, by guaranteeing the practicing of the cultural rights (articles 215 and 216, FC/88), specifically the right to the way of living and doing, enhances the major developments in diretcion the relation between environmental protection and cultural and multiethnic. The legal pluralism and the social environmental rights will be the theoretical milestones that will light up the this paper. The research, which was originated from the professional experience of the researcher in the context of the conflicts, will be exploratory and explanatory and will have a theoretical-methodological focus, as well as documental and from the field. The social environmental conflicts lead the culturally different groups to a process of self identification to guarantee their rights and, although the national legal skeleton assures the right to the territory of the traditional communities, the process to the recognition and practice of their rights not rarely is stagnant because of the ancient legal models that reveal themselves as impediments imposed by the estate.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade do Estado do Amazonaspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.rightsAtribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectComunidades tradicionaispt_BR
dc.subjectDireitos socioambientaispt_BR
dc.subjectMosaico de unidades de conservaçãopt_BR
dc.subjectPluralismo jurídicopt_BR
dc.subjectconflitos socioambientaispt_BR
dc.subjectRio Puruspt_BR
dc.subjectAmazonaspt_BR
dc.subjectCanutamapt_BR
dc.titleMosaico de unidades de conservação de Canutama-AM: um espaço de exclusão e de reconhecimento de direitos de comunidades tradicionaispt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.date.accessioned2019-12-20T14:14:15Z-
dc.contributor.advisor1Jacinto, Andrea Borghi Moreira-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1410707145898607pt_BR
dc.contributor.referee1Jacinto, Andrea Borghi Moreira-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1410707145898607pt_BR
dc.contributor.referee2Barbosa, Walmir de Albuquerque-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/2879487090731407pt_BR
dc.contributor.referee3Filho, Erivaldo Cavalcanti e Silva-
dc.contributor.referee3Latteshttp://lattes.cnpq.br/1203576344531897pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/7900945409888364pt_BR
dc.description.resumoEste estudo aborda sob um olhar multidisciplinar conflitos socioambientais ocorridos no âmbito do mosaico de unidades de conservação, no município de Canutama-Am. No contexto destacam-se grupos culturalmente diferenciados que, “residindo” na sede do município insistem em utilizar os recursos naturais da área do mosaico de unidades de conservação da zona considerada rural. O objetivo do trabalho é investigar se os interesses desses grupos podem se constituir em direitos reconhecidos pelo ordenamento jurídico pátrio. A diversidade multicultural brasileira é incontestável e seu reflexo no direito pátrio é melhor percebido a partir dos preceitos do neoconstitucionalimo, o norte capaz de realizar as mudanças sociais necessárias através da força e do caráter transformador das constituições (GAMBI, 2009). A Constituição Federal de 1988, por garantir o exercício dos direitos culturais ( artigos 215 e 216 CF/88), mormente o direito ao modo de fazer e viver, contempla grandes avanços na direção da relação entre proteção ambiental e pluralismo cultural e multiétnico. O Pluralismo jurídico e os direitos socioambientais serão os marcos teóricos que iluminarão o trabalho. A pesquisa, que teve sua origem a partir da experiência profissional do pesquisador no contexto dos conflitos, será exploratória explicativa e assumirá um enfoque teórico-metodológico documental e de campo. Os conflitos socioambientais conduzem grupos culturalmente diferenciados a um processo de autoidentificação para garantirem seus diretos, e apesar do arcabouço jurídico nacional assegurar o direito ao território das comunidades tradicionais, o processo para o reconhecimento e exercício de seus direitos não raro fica estagnado em virtude de antigos modelos jurídicos que se revelam como entraves impostos pelo próprio estado.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Direito Ambientalpt_BR
dc.relation.referencesACSELRAD, Henri (Org.). Conflitos Ambientais no Brasil. Rio de Janeiro: Relume Dumará: Fundação Heinrich Böll, 2004. ALBERT, Bruce. “O ouro canibal e a queda do céu: uma crítica xamânica da economia política da natureza”. Série Antropológica. No. 174. Departamento de Antropologia, Universidade de Brasília, 1995. ALENCAR, Edna Ferreira. Políticas Públicas e in(sustentabilidade social: o caso de Comunidades da várzea do alto Solimões, Amazonas. . In LIMA, Deborah(Org.). Diversidade socioambiental nas várzeas dos rios amazonas e Solimões: Perspectivas para o desenvolvimento da sustentabilidade. IBMARNR. Manaus 2005. ALMEIDA, Alfredo Wagner Berno de. Terras de Quilombo, terras indígenas. “babaçuais livres”, “castanhais do povo”, faixinais e fundos de pasto: terras tradicionalmente ocupadas. Manaus: PGSCA-UFAM, 2008. ALMEIDA, Marina Correa de. Direito Insurgente Latinoamericano: Pluralismo, sujeitos coletivos e nova jurisdicidade no século XXI. . In WOLKMER, Antonio Carlos e MELO, Milena Petters. Constitucionalismo Latinoamericano: Tendências contemporâneas. Curitiba: Juruá, 2013. BARRETO, Helder Girão. Direitos indígenas: Vetores Constitucionais. Curitiba: Juruá, 2011. BARROSO, Luis Roberto. Curso de Direito Constitucional contemporâneo: os conceitos fundamentais e a construção do novo modelo. São Paulo, Saraiva, 2011. BIANCHI, Patrícia. Eficácia das normas ambientais. São Paulo: Saraiva, 2010. BRANDÃO, Pedro Christo, et all. Caracterização de geoambientes da Floresta Nacional do Purus, Amazonia ocidental: uma contribuição ao plano de manejo. Revista Árvore, vol 34, nº 1, Janbe/ Fev, 2010. BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 05, out. 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm>. Acesso em: 05 julho de 2012. _______. Lei n° 9.985. Regulamenta o art. 225, parágrafo 1°, incisos I, II, II e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências (SNUC).Brasília,2000. _______. Lei nº 9.605. Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências. Brasília, 1998. _______. Lei nº 10. 257. Regulamenta os artigos 192 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providencias. Brasília, 2001. _______. Decreto nº 1. Cria a Floresta Nacional Balata Tufari, Brasília, 2005. _______. Decreto nº 33. Cria o Parque Nacional Mapinguarí. Brasília, 2008. . _______. Decreto n° 6.040. Institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais, Brasília, 2007. _______. Decreto nº 28.421. Cria a Reserva Extrativista de Canutama. Manaus, 2009. _______. Decreto nº 28.422. Cria a Floresta Estadual de Canutama. Manaus, 2009. _______. Medida Provisória nº 2.1186-16. Regulamenta o inciso II do § 1º e o § 4º do artigo 225 da Constituição e dispõe sobre o patrimônio genético, proteção e acesso ao conhecimento tradicional associado, a repartição de benefícios e o acesso à tecnologia e transferência de tecnologia para sua conservação e utilização e dá outras providências, Brasília, 2001. BRITO, Thiago Macedo Alves. Metamorfose do conceito de região: Leitura de Milton Santos. In Revista Geographia vol. 10 nº 20, 2008. Disponível em http://www.uff.br/geographia/ojs/index.php/geographia/search/authors/view?firstName=Thiago&middleName=Macedo%20Alves%20de&lastName=Brito&affiliation=Universidade%20Federal%20de%20Minas%20Gerias&country=BR acessado em 25 de agosto de 2012 CAMPINLONGO, Celso Fernandes. Direito e diferenciação social. São Paulo: Saraiva 2011. CANOTILHO, José Joaquim Gomes e LEITE, José Rubens Morato (Orgs.). Direito Constitucional Ambiental Brasileiro. São Paulo: Saraiva, 2010. CEOLIN, Lisianne Pintos Sabedra. Liberdade de pesquisa e meio ambiente. Curitiba: Juruá, 2012. CEUC, Planilha Produção Borracha. Informações da Chefia da Unidade de Conservação Reserva de Canutama. 2012. CRUET, Juan. A vida do direito e a inutilidade das leis. José Bastos & Cia: Lisboa, 1908. CUCHE, Denys. A Noção de Cultura nas Ciências Sociais. Trad. Viviane Ribeiro, 2 ed. Bauru: EDUSC, 1999. CUNHA, Manuela Carneiro de ALMEIDA, Mauro W, B. Populações Tradicionais e conservação ambiental. In. CAPOBIANCO, João Paulo et al.(Orgs.) Biodiversidade na Amazônia brasileira. São Paulo: Estação Liberdade/Instituto Socioambiental, 2001. DEL PRETTE, Marcos Estevan. Gestão de recursos hídricos e conflitos sociais. Revista Espaço & Geografia, Vol. 5, nº 2( 2002). DERANI. Cristiane. Direito Ambiental Econômico. São Paulo: Max Limonad, 1997. DIEGUES, Antonio Carlos. O mito do Paraíso desabaitado. Revista do Patrimônio Histórico e Artistico Nacional. nº 14, 1996. DUPRAT, Deborah, “O Direito sob o marco da plurietnicidade /multiculturalidade” in Duprat, Deborah (org). Pareceres Jurídicos: Direito dos Povos e Comunidades Tradicionais. Manaus: UEA, 2007, pp. 9-19. _____. O Estado Plurietnico. 2002 . Disponível em http://6ccr.pgr.mpf.gov.br/ documentos-e-publicacoes/docs_artigos/estado_plurietnico.pdf. acessado em 20 de maio de 2013. FERARINI, Sebastião Antonio. Rio Purus: História, Cultura e Ecologia. São Paulo: FTD, 2009. FRAXE, Theresinha de Jesus Pinto. Cultura cabocla-riberinha: mitos, lendas e transculturalidade. São Paulo: Annablume, 2004. FREITAS, Marcio Luiz Coelho. O exame antropológico em crimes imputados a indígenas. Revista da Seção Judiciária do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, n. 22: Dossie Direito Penal e Processual Penal, 2008. FREITAS, Rodrigo Rodrigues de, 2010. Governança de Recursos Pesqueiros na Bacia do Rio Acre com Ênfase na Tríplice Fronteira (Brasil, Peru e Bolívia) Disponível em http://www.anppas.org.br/encontro5/cd/artigos/GT18-742-791-20100903230456.pdf. Acessado em 25 de maio de 2012. FUKS, Mario. Conflitos ambientais no Rio de Janeiro: ação e debate nas arenas públicas. Rio de Janeiro: Edtora UFRJ, 2001. GALOIS, Dominique. Palestra conferida no curso de difusão cultural: Povos e comunidades tradicionais realizado no Nupaub-USP, em novembro de 2011. GAMBI, Eduardo. Neoconstitucionalismo e Neoprocessualismo: Direitos fundamentais, políticas públicas e protagonismo do judiciário. São Paulo: RT, 2009. GARCÍA, Maria Carrascosa. Experiências brasileiras com sementes crioulas. Disponível em http://brasil.indymedia.org/media/2004/05/280783.pdf. Acessado em: 30.01.2013 GARCIA, Maria. Desobediência Civil: direito fundamental. Revista dos Tribunais: São Paulo, 2004. GAZOLA, Patrícia Marques. A norma injusta no Estado democrático de direito. Disponível em http://jus.uol.com.br/revista/texto/8833/a-norma-injusta-no-estado-democratico-de-direito. Acessado em 25/05/2011 GUERRA, Antônio Teixeira e COELHO, Maria Célia Nunes. Unidades de Conservação: abordagens e Características Geográficas. Rio de Janeiro:Bertrand Brasil, 2009. GUERRA, Isabel. Modos de Vida: Novos Percurso e novos conceitos. Revista Sociologia, Problemas e Práticas. Nº 13,1993.pp 59-74 disponível em http://sociologiapp.iscte.pt/fichaartigo.jsp?pkid=270 acessado em 25/08/2012. IBGE. Dados do Censo 2010 Publicados no Diário Oficial, http://www.ibge.gov .br /cidadesat/ link.php?uf=am, acessado em 17 de abril de 2012. HOBSBAWM, Eric e RANGER, Terence. A invenção das tradições. São Paulo: Paz e Terra, 2012. HOEKEMA. André J. Hacia um pluralismo jurídico formal de tipo igualitário, disponível em http://ilsa.org.co:81/biblioteca/dwnlds/od/elotrdr026-27/elotrdr026-27-03.pdf, acessado em 25 de março de 2013. IBGE. Dados do Censo 2010 Publicados no Diário Oficial, http://www.ibge.gov .br /cidadesat/ link.php?uf=am, acessado em 17 de abril de 2012). KANT DE LIMA, Roberto et All. Efeitos da Igualdade e da desigualdade no espaço público da Amazônia. . In Diversidade socioambiental nas várzeas dos rios Amazonas e Solimões: Perspectivas para o desenvolvimento da sustentabilidade. IBMARNR. Manaus 2005. KISHI, Sandra Akemi Shimada. Proteção da biodiversidade: um direito humano fundamental. In: KISHI, Sandra Akemi Shimada; SILVA, Solange Teles da; SOARES, Inês Virgínia Prado (Org.). Desafios do direito ambiental do século XXI: estudos em homenagem a Paulo Affonso Leme Machado. São Paulo: Malheiros, 2005. p. 709-727. KROEMER, Gunter. Cuxiuara, o Purus dos indígenas. : um ensaio etno-histórico e etnográfico sobre os índios do médio Purus. Edições Loiola. São Paulo- SP. 1985 LÉVI-STRAUSS, C. “Raça e História” in Antropologia Estrutural II, Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1976 LINDOSO, Lilian de Carvalho. V Seminário sobre áreas protegidas e inclusão social. Termo Ajustamento de Conduta como população quilombola residente na Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins. Manaus, 2011. LIMA, André (Org.). O Direto para o Brasil Socioambiental. Porto Alegre: Sergio Fabris, 2002. LIMA, Deborah(Org.). Diversidade socioambiental nas várzeas dos rios amazonas e solimões: Perspectivas para o desenvolvimento da sustentabilidade. IBMARNR. Manaus 2005. LITTLE. Paul E. Territórios sociais e povos tradicionais no Brasil: por uma antropologia da territorialidade. Brasilia: UNB, 202 LINS, Diogo de Oliveira. A configuração do estado de necessidade na tutela penal ambiental. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-graduação em Direito Ambiental da Universidade do Estado do Amazonas, 2012. LOBÂO, Ronaldo. Análise comparativa de processos de construção de unidades de conservação de uso sustentável em ares de várzea: as possibilidade de uma gestão participativa de recursos naturais e renováveis. In Diversidade socioambiental nas várzeas dos rios Amazonas e Solimões: Perspectivas para o desenvolvimento da sustentabilidade. IBMARNR. Manaus 2005. LOBO,Elisabeth Souza. Caminhos da sociologia no Brasil: Modos de vida e experiência. Revista Soc USP- Tempo Social . Volume 4, 1992. Disponível em http://www.fflch.usp.br/soiologia/temposocial/site/images/stories/edicoes/v0412/CAMINHOS.pdf acessado em 25/08/2012 MARTINHO, Luciana Toledo. Dissertação: O direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado como um direito fundamental de natureza social e seu exercício harmônico com os direitos culturais. UEA, 2009. MARTINEZ ALIER, Joan. O ecologismo dos pobres: conflitos ambientais e linguagem de valoração. São Paulo: Contexto, 2012. MEDEIROS, Rodrigo. Contribuição das Unidades de Conservação brasileiras para a economia nacional: Sumário Executivo/Rodrigo Medeiros. Brasília: MMA, 2011. MENDES, Ana Beatriz V. Conservação Ambiental e Direitos Multiculturais: reflexões sobre Justiça. Tese apresentada ao Programa de Doutorado em Ambiente e Sociedade do Núcleo de Pesquisas Ambientais e Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP, 2009 MELO, Milena Petters. AS recentes Evoluções do Constitucionalismo na America Latina: Neoconstitucionalismo? . In WOLKMER, Antonio Carlos e MELO, Milena Petters. Constitucionalismo Latinoamericano: Tendências contemporâneas. Curitiba: Juruá, 2013. MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL- MPE- Promotoria de Justiça de Canutama- Termo de Declaração Nº 27/2007-PJ/CNT, 2007. _______. Procedimento preparatório nº 35/ 2010 PJ/CNT. 2010 _______ Relatório de Inspeção nº 01/2007 PJ/CNT, 2007 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE- MMA- Folheto Área sob Limitação Adminstrativa- ALAP, 2009. _______. METAS DA AICHI diponível em http://www.mma.gov.br/estruturas/sbf2008_dcbio/_arquivos/metas_aichi_147.pdf, acessado em 10 de julho de 2013. MORAES, André de Oliveira, LIMA, Susane Patrícia Melo de; ALVES, Juliana Araújo; SCHOR, Tatiana e OLIVEIRA, José Aldemir de. Aspectos da Rural –Urbano na Amazônia: O caso de Iranduba-AM..Trabalho apresentado no V Seminário Nacional de Geografia Agrária, realizado em Niteroi-RG Brasil, de 29/10 a 02/11/2009. Disponível http://www.uff.br/vsinga/trabalhos/Trabalhos%20Completos/Andr%E9%20de%20Oliveira%20Moraes.pdf acessado em 15 de agosto de 2012. NASCIMENTO, Italo Klinger Rodrigues do. A desobediência civil em face da Lei ambiental injusta em unidades de conservação. Curitiba: Conpedi, 2013. OST, François. A Natureza à Margem da Lei: a ecologia à prova do direito. Trad. Joana Chaves. Lisboa: Instituto Piaget, 1995. PARÓQUIA SÃO JOÃO BATISTA. Livro nº 25/2010 de Registro de Batismo. Canutama, 2010. PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO AMAZONAS-PRA, Ata de Reunião para assinatura de TAC, realizada em 25 de Novembro de 2010. QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. O campesinato brasileiro: Ensaios sobre civilização e grupos rústicos no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1976. SANTILLI, Juliana. Socioambientalismo e novos direitos. São Paulo: Peirópolis, 2005. _______. Meio ambiente e democracia: Participação social na gestão ambiental.in LIMA, André (Org.). O Direito para o Brasil Socioambiental. Porto Alegre: Sergio Fabris, 2002. REIS, Douglas Sathler dos. O rural e urbano no Brasil. Trabalho apresentado no XV Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP, realizado em Caxambú-MG – Brasil, de 18 a 22 de setembro de 2006.. disponível em http://www.abep.nepo.unicamp.br/encontro2006/docspdf/ABEP2006_777.pdf . acessado em 15 de agosto de 2012. SANTOS, Boaventura de Souza. Reconhecer para libertar: Os caminhos do Cosmopolitismo multicultural. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. SARLET, Ingo Wolfganag( Org.). Estado Socioambiental e direitos fundamentais. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2010. SENA, Antoino Edilson de Catro. Conflitos ambientais no âmbito do zoneamento ecológico-econômico: o caso da gleba nova Olinda em Santarém-Pará. Dissertação de Mestrado da Universidade do Estado do Amazonas. Programa de Pós-graduação em Direito Ambiental, 2012. SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, 2010. SILVA,José Afonso da. Direito Ambiental Constitucional. São Paulo: Malheiros, 2011. SILVEIRA, Edson Damas da. Meio Ambiente, terras indígenas e defesa nacional: direitos fundamentais em tensão nas fronteiras da Amazônia brasileira. Curitiba: Juruá, 2010 _________, Socioambientalismo Amazônico, Curitiba: Juruá, 2008. SHIRAISHI NETO, Joaquim (org.). Direito dos povos e das comunidades tradicionais no Brasil : declarações, convenções internacionais e dispositivos jurídicos definidores de uma política nacional. Manaus, UEA, 2010 _________. O pluralismo com valor fundamental. A co-oficialização das línguas nheengatu, tukanoe baniwa à língua portuguesa, no município de São Gabriel da Cachoeira, Estado do Amazonas. In ALMEIDA, Alfredo Wagner B. de. Terra das línguas: Lei municipal de Ofilcialização de línguas indígenas. São Gabriel da Cachoeira, Amazonas. Manaus: PPGSCA-UFAM/FUND. ROD, 2007. __________, “Crise nos padrões jurídicos tradicionais: o direito em face dos portadores de identidade coletiva. 2006. Disponível em : Joaquimhttp://www.conpedi.org.br/manaus/arquivos/anais/XIVCongresso/005.pdf. acessado em 20 de junho de 2013. SOARES, Inês Virginia Prado. Direito ao (do) patrimônio cultural brasileiro. Belo Horizonte: Editora Fórum, 2009. SOUZA FILHO, Carlos Frederico Marés de. Antropologia ou direito? Crítica a autossuficiência do direito. HILÉIA- Revista de Direito Ambiental da Amazônia nº 13 e 14, Manaus: Edições do Governo de estado do Amazonas, 2010. ________, Introdução ao direito socioambiental. In LIMA, André (Org.). O Direito para o Brasil Socioambiental. Porto Alegre: Sergio Fabris, 2002. _________, O renascer dos Povos Indígenas para o Direito. Curitiba: Juruá, 2006 __________. Entrevista realizada na Escola da Magistratura, na cidade de Manaus em Maio de 2013. SPÍNOLA, Jackeline Nóbrega, SILVA, Desireé Cristiane Barbosa da, SPÍNOLA, Paulo Sérgio, V Seminário sobre áreas protegidas e inclusão social. A influência da Floresta Nacional Balata-Tufari na atividade moveleira da sede municipal de Canutama – AM. Manaus, 2011) TAVARES, Eliane. América Latina é o berço do novo. 2011. Disponível em http://adital.com.br/hotsite_ecumenismo/noticia_imp.asp?cod=60450&lang=PT acessado em 13 de junho. VIANA, V.;SANTOS,V (orgs). Legislação sobre o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável do Amazonas. Manaus: Valer, 2008 VIEIRA, Ricardo Stanziola, CHERCHIARI, Renata Mello e CAROLINO, Kátia. Novos Territórios de conservação: a coexistência de territórios das populações tradicionais e a proteção da biodiversidade biológica no Brasil, REID.-Revista Internacional Direito e Cidadania, 2011. Encontrado em http://reid.org.br//?CONT=00000245&mode=resumo e acessadoem 07 de setembro de 2011. WANDERLEY, Maria de Nazareth Budel. A ruralidade no Brasil moderno. Por um pacto social pelo desenvolvimento rural, 2008. Diponível em http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/ar/libros/rural/wanderley.pdf, acessado em 15 de agosto de 2012. WITKOSKI, A. C. Terras, Florestas e as águas de trabalho: os camponeses amazônicos e as formas de uso de seus recursos naturais. Manaus: Editora da Universidade Federal do Amazonas, 2007 WOLKMER, Antonio Carlos. Pluralismo Jurídico. Fundamentos de uma nova cultura no direito. São Paulo: Alfa Omega, 2001 _____. Pluralismo crítico e perspectivas para um novo constitucionalismo na América Latina. In WOLKMER, Antonio Carlos e MELO, Milena Petters. Constitucionalismo Latinoamericano: Tendências contemporâneas. Curitiba: Juruá, 2013. ZAFFARONI, Raúl E. et all. Direito Penal Brasileiro I. Rio de Janeiro: Revan, 2011. ZAFFARONI, Raul E., PIERANGELI, José Henrique. Manual de Direito Penal Brasileiro, V. 1: Parte Geral. São Paulo: Revista do Tribunais, 2007.pt_BR
dc.publisher.initialsUEApt_BR
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - PPGDA Programa de Pós-Graduação em Direito Ambiental



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons